Amastha afirma que está ‘de cara e mãos limpas’

Em discurso de posse, o prefeito reeleito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), afirmou que foi o chefe do executivo municipal mais investigado da história da capital; ele fez referência à Operação Nosotros, da PF, que investiga possíveis irregularidades na licitação do BRT; "Aqui está o meu diploma de prefeito reeleito de Palmas. Fomos além de uma campanha limpa", disse; "Trago ainda aqui outras credenciais. Uma certidão da Polícia Federal que comprova que eu não estou indiciado em qualquer inquérito daquela instituição. O único político deste país submetido a uma devassa da PF em suas residências e escritórios e agora vem de cara e mãos limpas mostrar à sociedade que foi vítima de um erro e de uma injustiça"

Em discurso de posse, o prefeito reeleito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), afirmou que foi o chefe do executivo municipal mais investigado da história da capital; ele fez referência à Operação Nosotros, da PF, que investiga possíveis irregularidades na licitação do BRT; "Aqui está o meu diploma de prefeito reeleito de Palmas. Fomos além de uma campanha limpa", disse; "Trago ainda aqui outras credenciais. Uma certidão da Polícia Federal que comprova que eu não estou indiciado em qualquer inquérito daquela instituição. O único político deste país submetido a uma devassa da PF em suas residências e escritórios e agora vem de cara e mãos limpas mostrar à sociedade que foi vítima de um erro e de uma injustiça"
Em discurso de posse, o prefeito reeleito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), afirmou que foi o chefe do executivo municipal mais investigado da história da capital; ele fez referência à Operação Nosotros, da PF, que investiga possíveis irregularidades na licitação do BRT; "Aqui está o meu diploma de prefeito reeleito de Palmas. Fomos além de uma campanha limpa", disse; "Trago ainda aqui outras credenciais. Uma certidão da Polícia Federal que comprova que eu não estou indiciado em qualquer inquérito daquela instituição. O único político deste país submetido a uma devassa da PF em suas residências e escritórios e agora vem de cara e mãos limpas mostrar à sociedade que foi vítima de um erro e de uma injustiça" (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - Em discurso de posse nesse domingo (1), o prefeito reeleito de Palmas, Carlos Amastha, afirmou que foi o chefe do executivo municipal mais investigado da história da capital. Ele fez referência à Operação Nosotros, da Polícia Federal, que investiga possíveis irregularidades na licitação do BRT. 

"Aqui está o meu diploma de prefeito reeleito de Palmas. Fomos além de uma campanha limpa. Fizemos, mais uma vez, uma campanha, bonita, alegre, sem sujar as ruas, sem perturbar o sossego das pessoas. Trago ainda aqui outras credenciais. Uma certidão da Polícia Federal que comprova que eu não estou indiciado em qualquer inquérito daquela instituição. O único político deste país submetido a uma devassa da PF em suas residências e escritórios e agora vem de cara e mãos limpas mostrar à sociedade que foi vítima de um erro e de uma injustiça", disse

"Não guardo rancor, porque esses fatos, por mais desagradáveis que sejam, apenas me legitimam. Fui o prefeito mais investigado da história de Palmas pelos órgãos de controle, pela imprensa, pelos conselhos e pela sociedade em geral e aqui estou apresentando minhas certidões negativas. Como todo político deveria fazer. Com orgulho, tive as contas aprovadas pelo Tribunal de Contas e por este parlamento dos primeiros anos da gestão já analisados e julgados", acrescentou.

Amastha disse que fez um primeiro mandato sem corrupção e com mudanças de atitudes. "Assumo novamente sem que ninguém da minha equipe tenha sido condenado por improbidade administrativa nesses 4 anos. Sem que algum integrante fosse obrigado a devolver dinheiro público", afirmou.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247