Amigos de Lula defendem Kátia na Agricultura

Blog Amigos do Presidente Lula defendeu neste domingo, 23, a legitimidade da senadora Kátia Abreu (PMDB) assumir o Ministério da Agricultura; apesar das diversas manifestações contrárias de movimentos sociais, como o MST, e de setores do PT e do próprio PMDB, para os amigos de Lula, a militância petista e de esquerda em geral precisa "olhar também racionalmente as estratégias políticas"; "Compor ministérios é mais ou menos como mexer peças num tabuleiro de xadrez. Tem que olhar o efeito no tabuleiro inteiro. E olhando a disposição do tabuleiro todo, a senadora é uma boa mexida, considerando ser especificamente para este ministério"; confira íntegra

Blog Amigos do Presidente Lula defendeu neste domingo, 23, a legitimidade da senadora Kátia Abreu (PMDB) assumir o Ministério da Agricultura; apesar das diversas manifestações contrárias de movimentos sociais, como o MST, e de setores do PT e do próprio PMDB, para os amigos de Lula, a militância petista e de esquerda em geral precisa "olhar também racionalmente as estratégias políticas"; "Compor ministérios é mais ou menos como mexer peças num tabuleiro de xadrez. Tem que olhar o efeito no tabuleiro inteiro. E olhando a disposição do tabuleiro todo, a senadora é uma boa mexida, considerando ser especificamente para este ministério"; confira íntegra
Blog Amigos do Presidente Lula defendeu neste domingo, 23, a legitimidade da senadora Kátia Abreu (PMDB) assumir o Ministério da Agricultura; apesar das diversas manifestações contrárias de movimentos sociais, como o MST, e de setores do PT e do próprio PMDB, para os amigos de Lula, a militância petista e de esquerda em geral precisa "olhar também racionalmente as estratégias políticas"; "Compor ministérios é mais ou menos como mexer peças num tabuleiro de xadrez. Tem que olhar o efeito no tabuleiro inteiro. E olhando a disposição do tabuleiro todo, a senadora é uma boa mexida, considerando ser especificamente para este ministério"; confira íntegra (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - O blog Amigos do Presidente Lula defendeu neste domingo, 23, o convite feito pela presidente Dilma Rousseff (PT) à senadora Kátia Abreu (PMDB) para o comando do Ministério da Agricultura.

Para os amigos de Lula, a militância petista e de esquerda em geral precisa "olhar também racionalmente as estratégias políticas" para entender o convite a Kátia. "Compor ministérios é mais ou menos como mexer peças num tabuleiro de xadrez. Tem que olhar o efeito no tabuleiro inteiro. E olhando a disposição do tabuleiro todo, a senadora é uma boa mexida, considerando ser especificamente para este ministério", diz o texto.

Os motivos pelos quais os movimentos querem vetar a senadora íder dos ruralistas na Agricultura são as divergências sobre vários temas, como reforma agrária, questões trabalhistas, econômicas, sociais, indígenas, ambientais, artigos dela criticando países vizinhos "bolivarianos", ela ser egressa do DEM, etc. "Somos contra a visão da senadora nestes itens. No todo ou em parte, pois ela tem se comportado de forma mais moderada com o correr do tempo, pelo menos em votações no senado".

A indicação de Kátia Abreu, que é presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), gerou protesto de movimentos sociais e desagradou uma ala do PMDB. O Movimento dos Sem Terra informou nesse sábado que invadiu uma propriedade em Santa Catarina, em ação contra Kátia ministra da Agricultura. 

Leia na íntegra o texto.

Justifica fazer dramalhão contra Kátia Abreu na agricultura?

O bom da nossa militância é a paixão com que defendemos nossas causas. Tem gente que nunca plantou um xuxu na vida, mas "veta" apaixonadamente a possível escolha da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para o Ministério da Agricultura, seja por ideologia, seja por solidariedade a companheiros do MST que discordam da escolha.

É boa esta paixão militante, união e consciência solidária entre movimentos sociais, mas tem horas que a gente precisa olhar também racionalmente as estratégias políticas.

Compor ministérios é mais ou menos como mexer peças num tabuleiro de xadrez. Tem que olhar o efeito no tabuleiro inteiro. E olhando a disposição do tabuleiro todo, a senadora é uma boa mexida, considerando ser especificamente para este ministério.

Razões para sermos contra, todos sabemos: questões ideológicas, divergências sobre vários temas, como reforma agrária, questões trabalhistas, econômicas, sociais, indígenas, ambientais, artigos dela criticando países vizinhos "bolivarianos", ela ser egressa do DEM, etc. Somos contra a visão da senadora nestes itens. No todo ou em parte, pois ela tem se comportado de forma mais moderada com o correr do tempo, pelo menos em votações no senado.

Agora há razões que justificam sua nomeação:

1) Ela está cogitada apenas para ministra da agricultura e o cargo hoje tem funções econômicas de continuar desenvolvendo o agronegócio, pouco apitando nos temas sociais, tratados em outros ministérios e no Congresso Nacional.

2) No senado, Kátia Abreu pode ser reacionária ou, pelo menos, de centro direita, dependendo do tema. No Ministério da Agricultura, se confirmada, ela será desenvolvimentista e pragmática. Em recente artigo dela Folha de São Paulo, mandou às favas o embargo dos EUA e Europa à Rússia devido à intervenção na Crimeia (Ucrânia), e comemorou o aumento das exportações brasileiras de produtos do agronegócio para os russos justamente por causa do embargo.

3) Desde 2003, a genialidade política de Lula criou o Ministério do Desenvolvimento Agrário, separado do da Agricultura, para cuidar da reforma agrária, da melhor distribuição da renda no campo, de elevar camponeses pobres para a classe média, de criar oportunidades de renda e de elevar a qualidade de vida e condições de trabalho e de estudo no campo, de qualificação técnica e profissional para trabalhadores e pequenos produtores.

4) O Ministério da Agricultura ficou justamente para cuidar da parte que já é economicamente produtiva, chamada agronegócio, um setor em que o Brasil colhe sucessos enormes e não pode se dar ao luxo de desperdiçar oportunidades econômicas na atual conjuntura, pois quem pagará o pato é também o povo se o setor for esnobado a ponto de decair a produção, seja por provocar aumento no preço dos alimentos, seja pelo próprio povo ficar mais pobre quando o PIB do setor cai e gira menos dinheiro na economia.

5) Assim, desde 2003, Lula e Dilma escolheram para o Ministério da Agricultura sempre pessoas desenvolvimentistas ligadas ao agronegócio, e escolheram para Ministério do Desenvolvimento Agrário pessoas ligadas aos movimentos sociais do campo. Kátia Abreu pode ser apenas mais famosa do que os outros ministros da agricultura que serviram aos governos Lula e Dilma, mas tem o mesmo perfil deles.

6) É mais importante militar e lutar por escolhas progressistas no Ministério do Desenvolvimento Agrário, do Meio Ambiente, do Trabalho, da Justiça, Secom, etc, em vez de querermos "vetar" nomes para Agricultura ou para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que também precisa de bons interlocutores nas classes empresariais.

7) Kátia Abreu tem representatividade em seu setor, pois foi presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura) e conta com apoio da classe, gerando mais canais de diálogo entre governo e produtores, coisa que foi reclamada no primeiro governo Dilma.

8) Lula já provou que o jeito de destravar transformações dentro das regras constitucionais é colocar gente diferente, com interesses até opostos, sentados na mesma mesa para negociar acordos de forma franca. Podem "quebrar o pau" durante um tempo, mas é possível chegar a acordos meio termo, vencendo resistências dos dois lados, mesmo que o acordo não seja o ideal para nenhum deles. Se cada um ficar em seu cercadinho sectário, fechado em sua zona de conforto ideológica, sem negociar com antagônicos, fica tudo empacado e nenhuma mudança é conquistada a curto prazo.

9) Dado o resultado das urnas, com um Congresso Nacional até mais conservador do que nos últimos doze anos, o governo Dilma continua tendo que compor com partidos de centro e de direita uma participação grande no governo. Kátia Abreu não é diferente de vários outros quadros do PMDB, PSD, PP, PR, etc, e ela pode fazer parte da cota que cabe à direita no governo.

10) Sob o ponto de vista de combate à corrupção, colocar nomes de peso político em ministérios é melhor do que nomeações técnicas indicadas por caciques políticos. Se houver escândalo no ministério, é o próprio ministro-cacique que se queima, e não um burocrata sem expressão política que será reposto.

11) Os últimos Ministros da Agricultura foram indicados pela bancada do PMDB na Câmara. Mas a bancada do partido, liderada pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), às vezes é mais oposicionista do que governista em votações. Com Kátia Abreu, ela pode ter mais liderança sobre a bancada ruralista na Câmara, que vai além do PMDB.

12) Pela aliança regional feita entre PMDB e PT nas eleições 2014 no Tocantins, o suplente da senadora Kátia Abreu é do PT, o que representa mais um voto progressista na bancada do Senado, se ele assumir.

Como se vê, olhando o tabuleiro da política do jeito que está, há fortes razões para Kátia Abreu ser uma boa escolha para o governo Dilma, se for confirmada.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247