Ana Lúcia: grupo de extermínio assassinou 17 jovens em Poço Verde

Entre outubro do ano passado e março deste ano, 17 adolescentes que cometeram atos infracionais foram brutalmente assassinados no município por um suposto grupo de “justiceiros”; haveria, inclusive, uma lista com o nome dos jovens que seriam assassinados; "não podemos permitir que pessoas e agrupamentos que acham que podem fazer justiça eliminado a vida dos outros, julguem e executem a partir de preconceitos e do seu ponto de vista", disse a deputada; em Poço Verde, há apenas dois policiais e não delegado

Ana Lúcia: grupo de extermínio assassinou 17 jovens em Poço Verde
Ana Lúcia: grupo de extermínio assassinou 17 jovens em Poço Verde
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 - A deputada estadual Ana Lúcia (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, denunciou nesta quinta-feira (4), a existência de um grupo de extermínio de jovens no município de Poço Verde. Entre outubro do ano passado e março deste ano, 17 adolescentes que cometeram atos infracionais foram brutalmente assassinados no município por um suposto grupo de “justiceiros”. As informações relativas ao caso estão reunidas num dossiê elaborado pela promotoria de Justiça da comarca de Poço Verde.

A ousadia do grupo de extermínio chama a atenção: Eles chegam a deixar em escolas do município listas contendo os nomes dos jovens jurados de morte que, posteriormente aparecem assassinados. Ao final de uma das listas, o grupo chegou a escrever “Ladrão e traficante vai rodar se ficar em Poço Verde”, a fim de intimidar outros adolescentes envolvidos com atos infracionais.

Os atos também chocam pela naturalidade com que age o grupo. Em um dos casos, um jovem foi raptado e, após sua execução, os assassinos retornaram ao local do sequestro e retiraram as câmeras de segurança para evitar a identificação. Em outra situação, o assassino executou o jovem durante uma festa pública e chegou a afirmar que os presentes poderiam ficar tranquilos, pois já havia cumprido seu papel, deixando claro que o crime foi premeditado.

“Não podemos permitir que pessoas e agrupamentos que acham que podem fazer justiça eliminado a vida dos outros, julguem e executem a partir de preconceitos e do seu ponto de vista. A Constituição Federal garante que o Estado Brasileiro é democrático e nenhuma legislação dá o direito ao ser humano de tirar a vida de outro ser humano”, disse a deputada.

Atualmente, em Poço Verde, existem apenas dois policiais atuando cidade que possui uma população de 22 mil habitantes. O município é localizado na zona de limite entre os estados de Sergipe e Bahia, fazendo fronteira com seis outros municípios. Ana Lúcia criticou a ausência de delegados na cidade e cobrou a criação de uma polícia de fronteira no local.

De acordo com a deputada petista, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa tenta agendar com urgência uma audiência com o secretário da Segurança Pública, João Eloy, a fim de exigir uma atitude severa no sentido de que estes justiceiros sejam presos e de buscar soluções para a situação de violência no município.

Ana Lúcia destacou que o extermínio da juventude é mais intenso quando se trata de adolescentes que cometeram atos infracionais. “As vítimas, geralmente jovens pobres e negros, já tiveram seus direitos fundamentais violados anteriormente e terminam por perder o bem mais valioso, a própria vida”, lamentou. Ela reforçou ainda a importância de se encarar o problema de maneira mais profunda, procurando as causas reais e evitando agir apenas movidos pelo imediatismo e pelo revanchismo.

Com informações da Assessoria Parlamentar

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email