Andressa tem 3 dias para pagar fiança de R$ 100 mil

Em bilhete, companheira de Carlinhos Cachoeira teria feito ameaças e se dizia de posse de um dossiê preparado por jornalistas contra o magistrado; PF apreendeu computador, tablet e papéis na residência da musa da CPMI para confrontar caligrafia; enquanto consegue a quantia, ela não pode mais visitar o contraventor na Papuda

Andressa tem 3 dias para pagar fiança de R$ 100 mil
Andressa tem 3 dias para pagar fiança de R$ 100 mil (Foto: Edição/247)

Goiás 247 - A atual companheira do contraventor Carlos Augusto Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça, tem três dias para pagar uma fiança de R$ 100 mil para se livrar da prisão após ser acusada de chantagear o juiz Alderico Rocha Santos, da 11ª Vara da Justiça Federal de Goiânia, que preside o processo da Operação Monte Carlo. A PF realizou nesta manhã busca e apreensão na residência dela, no condomínio de luxo Alphaville Flamboyant Residencial Cruzeiro do Sul, em Goiânia. Na sequência, foi conduzida à sede do órgão onde prestou depoimento.

Andressa teria enviado um bilhete ameaçador ao juiz Alderico Rocha Santos, oportunidade em que sugeriu que estaria de posse de um dossiê contra ele que seria publicado caso não relaxasse a prisão de Carlinhos Cachoeira. A musa teria, inclusive, escrito o nome de três amigos do magistrado que, supostamente, fariam parte em algum ato ilícito. Na residência dela, a PF recolheu computador, tablet e papéis com mensagens escritas à mão para confrontar as caligrafias disponíveis.

Às 12h15, Andressa chegou à sede da PF em Goiânia, no Setor Bela Vista, cercada por jornalistas. Ele ficaria retida e foi imposta fiança no valor  de R$ 100 mil. Acabou liberada após o rápido depoimento que durou 20 minutos porque o juiz Alderico Rocha Santos resolveu permitir um prazo de três dias a fim de que a companheira de Carlinhos Cachoeira arranjasse o dinheiro.

A sequência de mais este caso levará Andressa às barras da Justiça. Está quase certa uma acareação entre ela e o juiz porque agora é a palavra de um contra o outro. Andressa teve hoje terríveis reveses no périplo que executa para tentar libertar Cachoeira, que amarga o martírio no presídio da Papuda. Ela agora não pode mais manter  contato com o companheiro, muito menos com qualquer outro envolvido nos fatos denunciados pela Operação Monte Carlo. Isso vale inclusive para o uso de qualquer forma de telefonia.

Após a diligência de hoje e as decisões judiciais que impõem silêncio e fiança de R$ 100 mil a Andressa Mendonça, as previsões são de que o inquérito seja concluído num prazo de 30 dias. Há a hipótese de que a musa não agiu por conta própria, mas orientada com o propósito de desqualificar o juiz Alderico Rocha Santos até a sua retirada do julgamento. Esta suposição será também investigada e pode arrolar outros personagens na novela.

Além dos capítulos movimentados de hoje, Andressa Mendonça terá ainda que se confrontar com a CPMI do Cachoeira instalada no Congresso Nacional. A musa falará na comissão no dia 7 de agosto. No dia 8 será a vez da ex-mulher do bicheiro, Andréa Aprígio.

Andressa havia ainda sido o centro das atenções durante julgamento dos réus da Operação Monte Carlo. Mesmo no circunspecto ambiente da Justiça Federal ela e Carlinhos Cachoeira trocaram declarações de amor. O bicheiro chegou a dizer ao juiz Alderico Rocha que quer se casar no primeiro dia após deixar o presídio da Papuda.

A repentina fama obtida com a prisão do marido, Carlinhos Cachoeira, pode render mais do que uma eventual capa da Playboy ou de outras revistas masculinas a Andressa Mendonça. Seus planos são mais altos. De acordo com reportagem do Estado de S.Paulo, a loura de rostinho angelical também sonha com um mandato de deputada federal. Mas a suposta tentativa de intimidar a Justiça pode encerrar todos os projetos da musa.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247