Aplicativos movimentam mais de US$3 bi no Brasil por ano com publicidade em celulares

Segundo o levantamento, no mundo, são 142 bilhões de dólares circulando na indústria de dispositivos móveis só com campanhas de aquisição e uso de apps. Na América Latina, são 4,8 bilhões de dólares gastos com publicidade em aplicativos. O Brasil representa cerca de 70 por cento desse valor.

Aplicativos movimentam mais de US$3 bi no Brasil por ano com publicidade em celulares
Aplicativos movimentam mais de US$3 bi no Brasil por ano com publicidade em celulares
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - O mercado de anúncios pagos de aplicativos movimenta mais de 3 bilhões dólares por ano no Brasil, segundo um levantamento feito pela plataforma de mensuração de aplicativos AppsFlyer.

Segundo o levantamento, no mundo, são 142 bilhões de dólares circulando na indústria de dispositivos móveis só com campanhas de aquisição e uso de apps. Na América Latina, são 4,8 bilhões de dólares gastos com publicidade em aplicativos. O Brasil representa cerca de 70 por cento desse valor.

De acordo com a AppsFlyer, em junho de 2016, 18 por cento das instalações de apps no Brasil eram não-orgânicas (oriundas de anúncio ou posts pagos, contra 82 por cento orgânicas. Em junho passado, 37 por cento das instalações de apps são não-orgânicas e 63 por cento orgânicas, ou seja, viralizaram mesmo sem anúncios pagos.

A conclusão é que quem lança aplicativos está investindo mais em publicidade para as instalações, afirmou Daniel Junowicz, diretor da AppsFlyer na América Latina.

Por Aluísio Alves

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247