Após crise, Gerir decide comprar 10 macas ao Hugo

No final de semana, varias ambulâncias do Samu ficaram retidas no hospital porque a unidade não tinha como devolver as macas, usadas para atendimento aos pacientes; a garantia da compra dos equipamentos foi feita após puxão de orelha do Centro de Apoio Operacional da Saúde do Ministério Público; direção argumenta que problema tem origem na alta demanda da unidade, especialmente pelo grande número de encaminhamentos de pacientes do interior

Após crise, Gerir decide comprar 10 macas ao Hugo
Após crise, Gerir decide comprar 10 macas ao Hugo (Foto: )

MP-GO_ Em reunião na sede do Ministério Público de Goiás, integrantes da direção do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) garantiram que farão a aquisição de 10 novas macas para a unidade. Também comprometeram-se a não reter este equipamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergências (Siate), fato que ocorreu no último final de semana.

Participaram do encontro o coordenador do Centro de Apoio Operacional da Saúde, Érico de Pina Cabral, o promotor de Justiça Marcus Antônio Ferreira Alves, além do diretor-geral do hospital, Ciro Ricardo de Castro; o diretor técnico, Nasser Tannus, o coordenador técnico, Nicola Bertorini, e os coordenadores das urgências do Município, Danielle Modesto e Kleyton de Melo.

Na reunião, Ciro Ricardo de Castro salientou que a demanda na unidade é muito grande, especialmente pelo grande número de encaminhamentos de pacientes do interior e de outras unidades de urgência para o Hugo. Segundo salientou, o Instituto de Gestão em Saúde (Gerir), organização social que administra o hospital, foi contratado para oferecer 246 leitos, contudo, ontem, havia 340 leitos ocupados. Destes, mais de 100 pacientes estavam em macas.

Quanto ao fato ocorrido, o diretor técnico esclareceu que são utilizadas na unidade 110 macas, mas, no final de semana, faltaram cerca de sete, razão pela qual houve a solicitação e retenção dos equipamentos do Samu e Siate.

Assim, a direção comprometeu-se ainda a apresentar a nota fiscal da aquisição das macas à 53ª Promotoria de Justiça de Goiânia, além de manter, permanentemente, 12 kits de mobilização disponíveis no hospital.

Outra deliberação da reunião foi que o hospital vai construir instalações para o Samu e o Siate e lavajato para as ambulâncias. (Texto: Cristina Rosa -  foto: Sara Queiroz / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247