Após ficar 6 anos parado, inquérito contra Caiado prescreve

Investigação contra o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) por crime de lesão corporal foi enviado ao Supremo Tribunal Federal após ter ficado seis anos na Polícia Civil de Goiás; o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concluiu que o caso, de 2010, prescreveu; Caiado era acusado pelo ex-prefeito do município de Turvânia de ordenar que seguranças o agredissem, durante sua campanha de reeleição ao cargo de deputado federal

caiado
caiado (Foto: Gisele Federicce)

Goiás 247 - O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) se livrou de um inquérito que prescreveu depois de ter ficado seis anos na Polícia Civil de Goiás, informa a revista Época.

A investigação por crime de lesão corporal chegou a ser enviada ao Supremo Tribunal Federal, por Caiado ter foro privilegiado, mas o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concluiu que o caso, que é de 2010, prescreveu.

No processo, Caiado era acusado pelo ex-prefeito do município de Turvânia de ordenar que seguranças o agredissem, durante sua campanha de reeleição ao cargo de deputado federal. O ministro Marco Aurélio Mello, relator do caso, determinou o arquivamento dos autos.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247