Artistas locais ameaçam não tocar no Carnaval

Artistas e bandas pernambucanas, como China, Alessandra Leão e Nação Zumbi, ameaçam não tocar no Carnaval deste ano em protesto ao não pagamento dos cachês referentes à folia de 2012; após o assunto ganhar corpo nas redes sociais, a Secretaria Estadual de Cultura e a Fundarpe emitiram nota afirmando que as pendências somam menos de 1% dos R$ 10 milhões contratados em 2012 e estão ligados a problemas de documentação por parte dos artistas e dos prestadores de serviço

Artistas locais ameaçam não tocar no Carnaval
Artistas locais ameaçam não tocar no Carnaval
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leonardo Lucena _PE247 – “A arte é um estilo de vida”. Assim dizia o poeta tcheco Rainer Maria Rilker (1875-1926). E este estilo é mostrado de várias formas, sendo a principal delas no palco, onde química entre a música e o povo ultrapassa o limite da razão. No entanto, artistas pernambucanos, como a banda Eddie, Nação Zumbi, o cantor China e a cantora Alessandra Leão já informaram que não tocarão no Carnaval do Recife deste ano por causa dos atrasos nos pagamentos dos cachês de 2012, que não teriam sido quitados até hoje. Por outro lado, a secretaria estadual de Cultural e a Fundação de Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) negam as denúncias e afirmam que as pendências totalizam menos de 1% dos R$ 10 milhões licitados para a folia do exercício passado. Os principais problemas estariam ligados à documentação apresentada pelos artistas e prestadores de serviço.  

De acordo com o cantor China, ex-vocalista da banda Shake Tosado, o problema está na burocracia. “Não posso jogar a culpa des­ses atra­sos nas cos­tas das pes­soas que fazem parte do governo e da pre­fei­tura, inclu­sive, tenho ami­gos super com­pe­ten­tes que tra­ba­lham na Fundarpe e na secre­ta­ria de cul­tura do Recife, que tam­bém ficam cha­te­a­dos com essa situ­a­ção. O pro­blema é a máquina buro­crá­tica e o des­caso com o assunto. Isto pre­cisa ser revisto”, afirmou o músico, que também foi VJ da MTV.

O cantor, um dos primeiros a manifestar sua insatisfação nas redes sociais  em uma ação que ganhou corpo junto a outros artistas e também por parte dos internautas,  diz que “a situação ficou insustentável, pois esses ‘três meses’ (de atraso) foram virando seis, oito, e até onze meses sem receber”. “E sabe quem mais perde com toda essa con­fu­são? Todo mundo. Eu, você, o governo, o turista, a cul­tura, todo mundo”, declarou China.

Por sua vez, a cantora Alessandra Leão mostrou toda a sua revolta por meio do texto intitulado “Mudamos Nós”, publicado esta semana em seu site. A artista afirmou que não faz sentido continuar a tocar e receber os cachês com atrasos, porque se trata de uma postura “equivocada e desrespeitosa com que a política pública cultural vem sendo adotado por aqui (em Pernambuco)”, escreveu.

“Cansamos de reclamar por tocar no Carnaval e receber no São João, tocar no meio do ano e receber no Natal (e claro que com muito desgaste no meio do caminho). Cansamos de critérios de seleção confusos e obscuros. Cansamos de aceitar e esperar que na próxima vez fosse diferente”, disparou.

Em contrapartida, o secretário estadual de Cultura, Fernando Duarte, e o presidente da Fundação de Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Severino Pessoa dos Santos, afirmam, por meio de nota, que 99,28% dos artistas contratados para o Carnaval 2012 receberam seus cachês. Das 605 apresentações, apenas 13 ainda apresentam pendências.

“Os percentuais residuais se justificam, na maioria dos casos, por problemas relativos a pendências com a documentação entregue pelas produtoras que representam os artistas”, diz o texto. Segundo a nota, em muitos casos, os artistas não conhecem os problemas que suas próprias produtoras enfrentam.

“É importante observar que existe um trâmite legal que precisa ser rigidamente cumprido para pagamento com dinheiro público. Todos os artistas que enfrentam atrasos no pagamento de seus cachês são informados dos motivos e orientados sobre como devem proceder”, observam os dirigentes.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email