Ataídes, que preside a CPI Mista da JBS, acerta com Temer obras para sua base

Dois dias depois de acertar obras para seu estado em reunião com Michel Temer e ministros, no Palácio do Jaburu, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), anunciou que a CPI Mista da JBS fará, com o procurador Rodrigo Janot uma devassa nos termos da delação premiada de Joesley Batista, do irmão Wesley Batista, e outros executivos da J&F; a base aliada de Temer quer usar a CPI para derrubar a delação de Joesley

O presidente da CPI do CARF, Senador Ataídes Oliveira, durante oitiva de Maurício Taveira e Silva, ex-conselheiro do Carf (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O presidente da CPI do CARF, Senador Ataídes Oliveira, durante oitiva de Maurício Taveira e Silva, ex-conselheiro do Carf (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - Dois dias depois de acertar obras para seu estado em reunião com Michel Temer e ministros, no Palácio do Jaburu, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), anunciou nesta segunda-feira (11) que a CPI Mista da JBS fará com o procurador geral da República, Rodrigo Janot, uma devassa nos termos da delação premiada de Joesley Batista, do irmão Wesley Batista, e outros executivos da J&F. Aliados de Temer querem usar a CPI para derrubar a delação de Joesley.

Com a resistência de membros da CPI ao nome do deputado Carlos Marun (PMDB-MS), da base governista, para ocupar a relatoria, Ataídes informou que tem outros dois nomes cotados, Delegado Francischini (SD-PR) e Hugo Leal (PSB-RJ). "É muito complicado. O PMDB é o maior partido do Congresso e teria direito a indicar o relator. Estou buscando um acordo, mas não vou comprar encrenca com o maior partido do Congresso", afirmou o tucano, segundo relato do Globo.

No encontro do último sábado (9) com Temer e os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), e Moreira Franco (Secretaria Geral), o senador afirmou que acertaram a duplicação da BR 153 no Tocantins, e a construção de uma ponte ligando o Tocantins ao Pará.

De acordo com o parlamentar, o tema da CPI não foi discutido na reunião. O tucano disse que não vê problema em se reunir com a cúpula do governo, sendo o presidente da comissão que vai investigar uma delação que tem como alvo Michel Temer. "Não vejo absolutamente nada de errado nesse encontro . Recebi o convite do ministro Imbassahy, sou parlamentar aqui para trabalhar pelo Brasil e pelo meu querido Tocantins, e uma oportunidade dessas eu jamais deixaria de ir", complementou.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247