Ato pelas diretas em São Paulo pode superar o do Rio de Janeiro

“Esse domingo é a vez da maior cidade do Brasil fazer sua manifestação pelas diretas. Certamente será ainda maior do que a manifestação feita no Rio de Janeiro. Vai ter Mano Brown, Péricles, Criolo, Tulipa Ruiz, Otto, Rael, Maria Gadú, Emicida, Simoninha, Acadêmicos do Baixo Augusta, todos unidos pela democracia e pela vontade de votar. Diretas já, todos à ruas”, convocou, via redes sociais, o ator Wagner Moura

41º Festival de Cinema de Gramado - 10/08/2013 - Coletiva de imprensa com o ator homenageado Wagner Moura. Foto: Edison Vara/PressPhoto
41º Festival de Cinema de Gramado - 10/08/2013 - Coletiva de imprensa com o ator homenageado Wagner Moura. Foto: Edison Vara/PressPhoto (Foto: Leonardo Attuch)

Da Rede Brasil Atual

Artistas, promotores culturais e movimentos organizados da sociedade civil realizam, no próximo domingo (4), um grande ato, com a presença de importantes nomes da música brasileira, para levantar as maiores pautas dos movimentos de rua do momento: a saída do presidente Michel Temer (PMDB) e convocação de eleições diretas. O evento SP pelas Diretas Já será realizado a partir das 11h no Largo da Batata, zona oeste da capital paulista.

“Esse domingo é a vez da maior cidade do Brasil fazer sua manifestação pelas diretas. Certamente será ainda maior do que a manifestação feita no Rio de Janeiro. Vai ter Mano Brown, Péricles, Criolo, Tulipa Ruiz, Otto, Rael, Maria Gadú, Emicida, Simoninha, Acadêmicos do Baixo Augusta, todos unidos pela democracia e pela vontade de votar. Diretas já, todos à ruas”, convocou, via redes sociais, o ator Wagner Moura.

Diferente do ato realizado no último domingo em Copacabana, no Rio de Janeiro, que reuniu mais de 150 mil pessoas com as mesmas reivindicações, a organização em São Paulo não partiu das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. A iniciativa partiu, inicialmente, de um grupo de grandes blocos de carnaval da capital, que vêm crescendo ao longo dos últimos anos e se tornando expressão de manifestação popular do campo progressista.

O distanciamento de organizações tradicionalmente de esquerda, como sindicatos, fez com que parte da grande mídia apontasse o ato como “apartidário”, e distante da política e de movimentos sociais. Entretanto, o bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, um dos organizadores, desmentiu a versão. “Respeitamos a representação e a luta dos partidos políticos engajados pelas Diretas Já e seu papel primordial na construção e na defesa da nossa democracia”, afirma.

"Em nenhum momento falamos em barrar ou excluir qualquer movimento do nosso ato, como foi publicado com sensacionalismo em matérias na grande imprensa", afirma a organização

“Em nenhum momento falamos em barrar ou excluir qualquer movimento do nosso ato, como foi publicado com sensacionalismo em matérias na grande imprensa. Pelo contrário: achamos fundamental para a relevância da nossa manifestação a participação de todas e todos que estejam alinhados à causa das Diretas”, completa.

Durante o evento, o palco estará aberto tanto para lideranças políticas, quanto para artistas se expressarem por meio de debate, música e discursos. “O que estamos propondo é uma nova linguagem: a partir de uma convocação da manifestação feita por artistas, mídia ativistas e grupos culturais, queremos estimular e envolver diversos setores da sociedade, inclusive partidos, em torno dessa pauta urgente e que nos une (…). Faremos um ato político com arte onde as falas dos movimentos sociais e culturais que acontecerão ao longo do domingo vão abordar as Diretas Já e outras pautas nacionais de oposição ao desastroso governo Temer”, finaliza.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247