Audiência debate situação dos servidores da saúde

“Um trabalhador desvalorizado não consegue exercer em plenitude a vida digna que lhe é devida. Precisamos debater a situação dessa categoria para permitir um estreitamento nas negociações entre Governo e servidores”, declarou o deputado Carlos Matos (PSDB), idealizador da audiência pública que discutirá a situação dos servidores da saúde no estado nesta terça-feira (15). A implantação do piso salarial e a realização de concurso público são algumas das reivindicações da categoria

“Um trabalhador desvalorizado não consegue exercer em plenitude a vida digna que lhe é devida. Precisamos debater a situação dessa categoria para permitir um estreitamento nas negociações entre Governo e servidores”, declarou o deputado Carlos Matos (PSDB), idealizador da audiência pública que discutirá a situação dos servidores da saúde no estado nesta terça-feira (15). A implantação do piso salarial e a realização de concurso público são algumas das reivindicações da categoria
“Um trabalhador desvalorizado não consegue exercer em plenitude a vida digna que lhe é devida. Precisamos debater a situação dessa categoria para permitir um estreitamento nas negociações entre Governo e servidores”, declarou o deputado Carlos Matos (PSDB), idealizador da audiência pública que discutirá a situação dos servidores da saúde no estado nesta terça-feira (15). A implantação do piso salarial e a realização de concurso público são algumas das reivindicações da categoria (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - A situação dos servidores da saúde no estado será discutida em audiência pública nesta terça-feira (15), atendendo a solicitação do deputado Carlos Matos (PSDB). O debate será no Complexo de Comissões Técnicas da Casa, a partir das 16h.

O parlamentar destacou que, desde junho passado, os servidores da saúde do Ceará estão negociando com o Governo o retorno dos incentivos financeiros, gratificações pagas pelos gestores municipais e que precisam de decisão do Estado para que retornem. A implantação do piso salarial e a realização de concurso público também são reivindicações da categoria.

"Foram diversas negociações e promessas que, ao final, acabaram não se concretizando. Atualmente, os profissionais da saúde sofrem não só com as jornadas extremas e plantões, mas com a ausência de estruturação adequada em hospitais e postos de saúde", apontou.

Carlos Matos salientou que a saúde é essencial à vida e é direito assegurado constitucionalmente. "Um trabalhador desvalorizado não consegue exercer em plenitude a vida digna que lhe é devida. Precisamos debater a situação dessa categoria para permitir um estreitamento nas negociações entre Governo e servidores", frisou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email