Bancos têm 36 meses para instalar dispositivos de segurança em todos os caixas eletrônicos

Deputado Nelson Pelegrino (PT-BA) deu entrada em requerimento convidando a Febraban a participar de Audiência Pública sobre implementação da lei que obriga uso de dispositivos que inutilizam cédulas em caso de explosão a caixas eletrônicos; s bancos têm nove meses para implantar o sistema em 50% dos municípios com até 50 mil habitantes, sendo os outros 50% em até 18 meses 

Deputado Nelson Pelegrino (PT-BA) deu entrada em requerimento convidando a Febraban a participar de Audiência Pública sobre implementação da lei que obriga uso de dispositivos que inutilizam cédulas em caso de explosão a caixas eletrônicos; s bancos têm nove meses para implantar o sistema em 50% dos municípios com até 50 mil habitantes, sendo os outros 50% em até 18 meses 
Deputado Nelson Pelegrino (PT-BA) deu entrada em requerimento convidando a Febraban a participar de Audiência Pública sobre implementação da lei que obriga uso de dispositivos que inutilizam cédulas em caso de explosão a caixas eletrônicos; s bancos têm nove meses para implantar o sistema em 50% dos municípios com até 50 mil habitantes, sendo os outros 50% em até 18 meses  (Foto: Leonardo Lucena)

Bahia 247 - O deputado federal Nelson Pelegrino (PT-BA) deu entrada em requerimento, nesta quarta-feira (25), convidando a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) a participar de Audiência Pública sobre implementação da lei que obriga uso de dispositivos que inutilizam cédulas em caso de explosão a caixas eletrônicos.

Os bancos têm nove meses para implantar o sistema em 50% dos municípios com até 50 mil habitantes, sendo os outros 50% em até 18 meses. O prazo é de 24 meses para cidade entre 50 e 500 mil habitantes, e 36 meses para cobrir todos os municípios brasileiros.

Autor da proposta, sancionada nesta segunda-feira (23), Pelegrino acredita que a medida “vai zerar” este tipo de crime. “Se utilizada a serviço da segurança pública, a tecnologia pode ser uma grande aliada. O foco do Projeto é a prevenção. Dispositivos que dispensam tinta, ácidos, pó químico ou mesmo que incinerem as notas farão valer a noção de que o crime não compensa, independente da pena” – afirmou o deputado.

O Projeto de Lei (PL) 6737/16, de Pelegrino, foi incorporado ao substitutivo do PL 9160/17.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247