Bateu, levou: é Marconi e casal Iris em guerra aberta

A deputada Iris Arajo provocou, o governador Marconi Perillo reagiu. Agora a deputada parte novamente para a ofensiva. Uma coisa certa: CPI mista ser palco para Iris fazer oposio a Marconi, e CPI em Gois ser palanque para o tucano contra-atacar

Goiás 247 – Essa perlenga ainda vai dar muito pano pra manga... A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, trouxe neste domingo, 29, nota informando que o governador Marconi Perillo (PSDB) procurou caciques do PMDB para dizer que, se a deputada Iris Araújo partir para o ataque na CPI mista do Cachoeira, ele vai retaliar na comissão da Assembleia Legislativa aprovada por sua bancada para também apurar o caso Cachoeira em Goiás, contra a gestão do marido dela, Iris Rezende, na Prefeitura de Goiânia.

Iris deixou a prefeitura no início de 2010 para disputar o governo com o próprio Marconi, e repetindo 1998, foi derrotado. E o recado do governador foi uma resposta à ação da deputada, que, como titular da CPI mista do caso Cachoeira, solicitou ao Ministério da Fazenda, na semana passada, investigação sobre a existência de contas dele no exterior.

Mal saiu a nota, já no início da tarde o contra-ataque da deputada estava no Twitter: As ameaças do governador, segundo ela, “revelam o desespero que toma conta do Palácio das Esmeraldas”. Veja, a seguir, a íntegra da nota:

 

NOTA DA DEPUTADA IRIS DE ARAÚJO

Sobre nota veiculada na edição deste domingo na coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo contendo ameaças por parte do governador Marconi Perillo à deputada Iris de Araújo, integrante da CPI do Cachoeira no Congresso Nacional ela faz as seguintes considerações:

“As ameaças diretas feitas pelo governador Marconi Perillo à minha pessoa, por conta da atuação na CPMI destinada a apurar o envolvimento do bicheiro Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados, tenho a dizer que elas não me intimidam.

Muito pelo contrário, reforçam ainda mais a minha determinação de tudo fazer para apurar os fatos que envolvem o Governo de Goiás diretamente com a contravenção.

Não vou me calar, nem omitir e muito menos diminuir os esforços para que a verdade (e somente a verdade) prevaleça num momento de extrema gravidade para o país, quando gravações da Polícia Federal obtidas durante a Operação Monte Carlo cada vez mais deixam claro o envolvimento do governador Marconi Perillo e outras autoridades com a organização criminosa comandada por Carlinhos cachoeira.

As ameaças do governador no sentido de orientar retaliação na Assembleia Legislativa contra a gestão de Iris Rezende na Prefeitura de Goiânia são autoritárias, rancorosas e revelam o desespero que toma conta do Palácio das Esmeraldas com o início dos trabalhos da CPMI.

Nada temos a temer. Estamos com a consciência limpa, bem como preparados para responder a todas as formas de agressões.

O destempero demonstrado pelo governador é típico dos que se sentem inseguros diante de fatos cada vez mais comprometedores. Esta arrogância, antes de mais nada, evidencia culpa e medo.

Este tipo de comportamento é semelhante à série de ameaças terroristas que recebi no Twitter, por meio de um perfil fake no momento em q fazia uma série de denúncias na tribuna da Câmara Federal contra as irregularidades cometidas no governo de Marconi Perillo. Para tanto, pedi segurança à mesa da Câmara dos Deputados.

Deixo ainda claro que a minha atuação na CPMI não será pautada por qualquer tipo de acordo de bastidores, atitude que sempre repudiei e continuarei a repudiar. Aliás, o governador Marconi Perillo deveria, isso sim, conversar com o seu partido, o PSDB, para devidamente se explicar.

Contra toda essa intimidação, vou redobrar o trabalho e os esforços para que o Brasil possa ser passado a limpo e para que todo o malfeito cometido em Goiás seja esclarecido e julgado na forma da lei.”

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247