CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

BC independente: Campos quer, Marina não

Enquanto o ex-governador de Pernambuco defende mais autonomia para o Banco Central, sua aliada e candidata a vice na chapa do PSB, Marina Silva, discorda; em entrevista aos jornais Wall Street Journal e Financial Times, Eduardo Campos afirmou que maior liberdade à instituição pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento"; já Marina: "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo"; os dois participam hoje em São Paulo de discussões do PSB sobre o programa de governo

Imagem Thumbnail
Enquanto o ex-governador de Pernambuco defende mais autonomia para o Banco Central, sua aliada e candidata a vice na chapa do PSB, Marina Silva, discorda; em entrevista aos jornais Wall Street Journal e Financial Times, Eduardo Campos afirmou que maior liberdade à instituição pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento"; já Marina: "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo"; os dois participam hoje em São Paulo de discussões do PSB sobre o programa de governo (Foto: Gisele Federicce)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Pernambuco 247 – Mais um tema causa divergência na dupla Eduardo Campos e Marina Silva, pré-candidatos à presidente e à vice-presidente da República em outubro. Na opinião do ex-governador de Pernambuco, o Banco Central, num eventual governo do PSB, deve ter mais autonomia. A ex-senadora, por outro lado, tem dúvidas sobre essa linha de pensamento.

Em entrevista aos jornais da área de finanças Wall Street Journal, dos Estados Unidos, e Financial Times, da Inglaterra, nessa semana, Eduardo Campos defendeu que maior liberdade à autoridade monetária no Brasil pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Segundo o ex-governador, o assunto já está sendo discutido junto à equipe que cuida da parte econômica do programa de governo do PSB. "Qual a minha argumentação interna? Todas as agências têm mandato, por que o Banco Central não deve ter?", questiona Campos. Segundo ele, é preciso reestabelecer a "confiança dos agentes econômicos".

A ex-senadora Marina Silva afirma que o papel do Banco Central é um dos pontos do debate na elaboração do programa econômico do PSB. "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo", afirmou, a respeito da autonomia. Este é mais um tema que deve ser trabalhado para um consenso pela dupla, que já se desentendeu sobre alianças para as eleições em diversos estados.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Os dois participam de discussões do PSB sobre o programa de governo nesta quarta-feira 23 em São Paulo.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO