BC independente: Campos quer, Marina não

Enquanto o ex-governador de Pernambuco defende mais autonomia para o Banco Central, sua aliada e candidata a vice na chapa do PSB, Marina Silva, discorda; em entrevista aos jornais Wall Street Journal e Financial Times, Eduardo Campos afirmou que maior liberdade à instituição pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento"; já Marina: "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo"; os dois participam hoje em São Paulo de discussões do PSB sobre o programa de governo

Enquanto o ex-governador de Pernambuco defende mais autonomia para o Banco Central, sua aliada e candidata a vice na chapa do PSB, Marina Silva, discorda; em entrevista aos jornais Wall Street Journal e Financial Times, Eduardo Campos afirmou que maior liberdade à instituição pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento"; já Marina: "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo"; os dois participam hoje em São Paulo de discussões do PSB sobre o programa de governo
Enquanto o ex-governador de Pernambuco defende mais autonomia para o Banco Central, sua aliada e candidata a vice na chapa do PSB, Marina Silva, discorda; em entrevista aos jornais Wall Street Journal e Financial Times, Eduardo Campos afirmou que maior liberdade à instituição pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento"; já Marina: "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo"; os dois participam hoje em São Paulo de discussões do PSB sobre o programa de governo (Foto: Gisele Federicce)

Pernambuco 247 – Mais um tema causa divergência na dupla Eduardo Campos e Marina Silva, pré-candidatos à presidente e à vice-presidente da República em outubro. Na opinião do ex-governador de Pernambuco, o Banco Central, num eventual governo do PSB, deve ter mais autonomia. A ex-senadora, por outro lado, tem dúvidas sobre essa linha de pensamento.

Em entrevista aos jornais da área de finanças Wall Street Journal, dos Estados Unidos, e Financial Times, da Inglaterra, nessa semana, Eduardo Campos defendeu que maior liberdade à autoridade monetária no Brasil pode "encorajar investidores" e "ajudar o Brasil a retomar o rápido crescimento".

Segundo o ex-governador, o assunto já está sendo discutido junto à equipe que cuida da parte econômica do programa de governo do PSB. "Qual a minha argumentação interna? Todas as agências têm mandato, por que o Banco Central não deve ter?", questiona Campos. Segundo ele, é preciso reestabelecer a "confiança dos agentes econômicos".

A ex-senadora Marina Silva afirma que o papel do Banco Central é um dos pontos do debate na elaboração do programa econômico do PSB. "Tenho dúvida. Não acho que seja bom, mas estamos debatendo", afirmou, a respeito da autonomia. Este é mais um tema que deve ser trabalhado para um consenso pela dupla, que já se desentendeu sobre alianças para as eleições em diversos estados.

Os dois participam de discussões do PSB sobre o programa de governo nesta quarta-feira 23 em São Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247