BNDES aprova financiamento para obras da Arena da Baixada

Banco disponibilizará R$ 131 milhões, que corresponde a 71% do investimento total para reforma do estádio

BNDES aprova financiamento para obras da Arena da Baixada
BNDES aprova financiamento para obras da Arena da Baixada (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Portal da Copa - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta quarta-feira (08/08) um financiamento de R$ 131 milhões para a reforma e ampliação do Estádio Joaquim Américo (Arena da Baixada), em Curitiba, que receberá os jogos da Copa do Mundo de 2014.

O recurso será liberado por meio do programa BNDES ProCopa Arenas. Para viabilizar a operação haverá dois contratos de financiamento. O primeiro será entre o banco nacional e o governo paranaense. Quando liberado, todo o recurso será imediatamente aportado no Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), administrado pela Fomento Paraná.

A seguir, a Fomento Paraná assinará um contrato com a CAP S/A - sociedade de propósito específico criada pelo Clube Atlético Paranaense para gerir as obras do estádio – que receberá o valor integral disponibilizado pelo BNDES.

Os valores envolvidos na operação correspondem a 71% do investimento total orçado para as obras da Arena, que chega a R$ 184,6 milhões. O financiamento será liberado em cinco parcelas. A primeira delas deve ocorrer 30 dias depois da assinatura dos contratos. O prazo de pagamento será de 15 anos, com dois de carência.

Os juros incidentes sobre o financiamento são os mesmos aplicados para os demais estádios do País que acessaram a linha de crédito do Programa ProCopa Arenas (BNDES), e estão fixados em TJLP mais 1,9% ao ano. Neste trimestre, correspondem a 7,4% ao ano.

Para receber os recursos, o Clube Atlético Paranaense dará como garantias os títulos de potencial construtivo emitidos pela Prefeitura de Curitiba em seu favor, hoje estimados em R$ 92,2 milhões. Além disso, terá que hipotecar o seu centro de treinamentos (R$ 46,2 milhões) e fazer um seguro dos valores envolvidos na operação.

Fonte: Secopa/ PR

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email