HOME > Geral

BNDES vai apoiar projetos do Fórum Brasil Central

Presidente do BNDES participou do 7º encontro do Fórum do Brasil Central, realizado nesta sexta em Goiânia; Luciano Coutinho demonstrou interesse em financiar projetos de desenvolvimento e políticas públicas na macrorregião do Brasil Central; "Precisamos de macro planejamento para as plataformas logísticas do Brasil Central que ligam todas as regiões do país"; Coutinho parabenizou a iniciativa de Marconi Perillo de unir os estados; "O BNDES não é só um suporte de empréstimos aos Estados, mas uma via de sustentação de investimentos nos entes da federação. Estamos mobilizados para interagir com o Consórcio"

Presidente do BNDES participou do 7º encontro do Fórum do Brasil Central, realizado nesta sexta em Goiânia; Luciano Coutinho demonstrou interesse em financiar projetos de desenvolvimento e políticas públicas na macrorregião do Brasil Central; "Precisamos de macro planejamento para as plataformas logísticas do Brasil Central que ligam todas as regiões do país"; Coutinho parabenizou a iniciativa de Marconi Perillo de unir os estados; "O BNDES não é só um suporte de empréstimos aos Estados, mas uma via de sustentação de investimentos nos entes da federação. Estamos mobilizados para interagir com o Consórcio" (Foto: José Barbacena)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Goiás 247 - No sétimo encontro do Fórum do Brasil Central, os seis governadores que participam do Consórcio e os Estados convidados do Amazonas e do Maranhão, receberam sinalização positiva de apoio do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, que participou e conversou com os governadores.

Coutinho, que se reuniu com os governadores na manhã desta sexta-feira, 4, antes do início do Fórum, demonstrou interesse em financiar projetos de desenvolvimento e políticas públicas na macrorregião do Brasil Central. Durante o Fórum, que ocorreu no 10º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, representantes do BNDES assumiram o compromisso de destinar investimentos do Banco para a região. ”Precisamos de um macro planejamento para as plataformas logísticas do Brasil Central que ligam todas as regiões do país" afirmou Luciano.

Coutinho parabenizou a iniciativa do governador Marconi Perillo de unir os estados em um bloco. "O BNDES não é só um suporte de empréstimos aos Estados, mas uma via de sustentação de investimentos nos entes da federação. Estamos mobilizados para interagir com o Consórcio." Ele se comprometeu com os governadores participantes do Fórum uma ampla disposição do Banco em interagir com os governos, com as federações e com o setor privado produtivo dos Estados participantes.

Avanços

Marconi comemorou os avanços do bloco desde a sua criação. "Quando fizemos o primeiro encontro, em junho do ano passado, estávamos reunindo governadores que sonhavam com o movimento. Passado esses meses, já temos uma pauta propositiva e planejamento estratégico de investimentos na região."

O Secretário de Desenvolvimento de Goiás e representante do Estado no Consórcio, Thiago Peixoto, disse que as palavras de ordem do Consórcio são competitividade e inovação. "É impressionante o ritmo acelerado que o Brasil Central tomou nos últimos meses. Tínhamos que quebrar essas fronteiras, pois temos muito em comum. Nos momentos de crise, grandes oportunidades aparecem. Se não fosse a crise não teríamos criado esse modelo vanguardista de desenvolvimento da região. Somos o primeiro Fórum de desenvolvimento e investimento de uma região no país. Nós temos o maior potencial de logística e vamos conhecer as possibilidades de integração dessa região."

Importância

Todos os governadores participantes reiteraram a importância do movimento na atual conjuntura política e econômica do país. Rodrigo Rollemberg (DF), Pedro Taques (MT), Reinaldo Azambuja (MS), Marcelo Miranda (TO), Confúcio Moura (RO), José Melo (AM) e o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, afirmaram que o bloco já colhe resultados positivos da união dos Estados.

Taques afirmou que enquanto a crise borbulha no Brasil, os Estados do Brasil Central discutem temas importantes para os avanços da República. “Os governadores devem sair da condição de coadjuvante e passarmos a ser os protagonistas da política e da economia do país”.

"O Brasil Central está em boas mãos", afirmou o governador Marcelo Miranda, ao falar sobre a representatividade do governador Marconi Perillo à frente bloco. Azambuja disse que a reunião em Goiânia foi mais um demonstrativo de que no Brasil Central os governadores estão em busca de soluções.

Vice-governador do Maranhão, mais um Estado convidado para participar do Fórum, Carlos Brandão, expressou o interesse de seu governo em integrar o bloco. "Viemos aqui como visitantes, mas não deixamos de expressar nosso interesse em fazer parte desse bloco, onde nasce, no centro do Brasil, uma proposta de desenvolvimento. Precisamos encontrar saídas e esse bloco é exemplo disso".

O bloco dos Estados foi criado com a proposta de construção de uma agenda de superação da crise econômica. O compromisso dos governadores que compõem o Brasil Central é o de construir políticas comuns de desenvolvimento.

Segurança

O vice-governador e secretário de Segurança Pública de Goiás, José Eliton, sugeriu aos governadores do Brasil Central que a segurança dos Estados tenha integração do serviço de inteligência contra a criminalidade. "É uma área de preocupação de todos os Estados brasileiros. Se nos unirmos, conseguiremos a integração do serviço de inteligência entre os Estados e verbas do governo federal para investirmos”, disse.

Após a sugestão do secretário, os governadores assinaram uma Carta ao governo federal pedindo o aumento dos investimentos em estruturas de inteligência e estatísticas criminais. Na carta, os governadores se comprometeram em fazer o mesmo em seus Estados para o compartilhamento de iniciativas de combate ao crime.

Foi assinado também um ofício que será enviado à presidente Dilma Rousseff solicitando que a União, através do Conselho Monetário Nacional, reveja a posição sobre os juros cobrados para operações de 2016 com os Fundos Constitucionais.

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: