Boa situação fiscal de Goiás volta a ser destaque na mídia nacional

Reportagem do Estadão revela que os estados que “conseguiram barrar reajustes de servidores nos anos de crise e apresentaram medidas adicionais de ajuste têm hoje condição fiscal mais favorável”; são citados como exemplo Goiás, Santa Catarina e Alagoas; jornal destaca que, por conta dos reajustes, a meta de Goiás é entregar uma economia de R$ 212 milhões em 2017, “mas o governo já trabalha para superar essa estimativa”; Goiás foi o primeiro estado a aprovar novo ajuste fiscal depois do acordo entre governadores e União

marconi
marconi (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Os planos de contenção de despesas realizados pelo governador Marconi Perillo são destaques na edição de hoje (28 de dezembro) do jornal O Estado de S.Paulo. A reportagem revela que os estados que “conseguiram barrar reajustes de servidores nos anos de crise e apresentaram medidas adicionais de ajuste têm hoje condição fiscal mais favorável”. São citados como exemplo Goiás, Santa Catarina e Alagoas.

O jornal destaca que, por conta dos reajustes, a meta de Goiás é entregar uma economia de R$ 212 milhões em 2017, “mas o governo já trabalha para superar essa estimativa”. Alagoas, por sua vez, prevê resultado positivo de R$ 372 milhões e Santa Catarina, de R$ 390 milhões. Outros Estados, como Espírito Santo e Distrito Federal, também fizeram reajustes, mas podem fechar com déficit por conta do plano de investimentos.

A matéria, intitulada “Estado que barrou reajuste está melhor”, informa ainda detalhes do pacote de medidas remetido por Marconi Perillo e já aprovado pela Assembleia Legislativa do Goiás. “O governo goiano encaminhou um duro pacote de ajuste fiscal que inclui a criação de teto de gasto, aumento da contribuição previdenciária dos servidores de 13,25% para 14,25% e a redução de 20% dos cargos em comissão, de 30% de ajuda de custo e 30% de horas extras e gratificações”, diz.

A secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão, entrevistada pelos repórteres Idiana Tomazetti, Adriana Fernandes e Murilo Rodrigues Alves, que assinam a reportagem, explica que os recursos obtidos com a venda da distribuidora de energia Celg também devem ainda contribuir para incrementar os investimentos na ordem de R$ 800 milhões nas contas do governo do Estado no próximo ano.

Essa não é a primeira vez que o pacote de ajustes de Marconi é destacado por reportagens do Jornal O Estado de S. Paulo. No dia 12 de dezembro deste ano, o Programa de Austeridade pelo Crescimento do Estado de Goiás, de autoria da Governadoria e já aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado, foi classificado em editorial do jornal como o “caminho a ser seguido pelos demais governos estaduais”. Na edição anterior, o periódico trouxe todos os detalhes do pacote recém-apresentado pelo Executivo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247