Bolsonaro convida governadores para discutir socorro a Estados

Criticado pela má articulação com governadores no gerenciamento da crise do coronavírus, Jair Bolsonaro convidou chefes de Executivos estaduais para uma reunião por videoconferência na próxima quinta-feira (21). Entre os convidados estão os governadores João Doria (PSDB-SP), e do Rio, Wilson Witzel (PSC-RJ), desafetos políticos dele

(Foto: Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Criticado pela má articulação com governadores no gerenciamento da crise do coronavírus, Jair Bolsonaro convidou gestores a participarem de uma reunião por videoconferência na próxima quinta-feira (21). De acordo com os chefes dos Executivos estaduais, o chamado foi feito sob o pretexto de discutir a sanção do projeto de socorro aos Estados e municípios e o veto ao trecho do texto que permite o aumento salarial para servidores públicos até 2021.

O Palácio do Planalto ainda não confirmou a agenda, mas 11 governadores, das cinco regiões do País, admitiram terem sido convocados para a reunião às 10h de quinta-feira. Entre eles, os governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB); do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB); do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e do Amapá, Waldez Góes (PDT). O relato foi publicado no jornal O Estado de S.Paulo.

Também foram chamados os governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, desafetos políticos de Bolsonaro e potenciais adversários dele na eleição presidencial de 2022. 

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que pretendia discutir com governadores e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), o veto ao trecho do projeto que trata de congelar o reajuste de servidores públicos até 2021. 

"Ele pretende, juntamente comigo, fazer videoconferência com governadores de todo o Brasil e ali sair compromisso no tocante a possível veto ou não de artigos desse projeto", afirmou Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada. Maia ainda não confirmou a participação.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247