Brasil Central discute equiparação de alíquotas

Iniciou, no Palácio Araguaia, em Palmas, mais uma edição da reunião do Conselho de Administração do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central; na reunião, foram discutidos temas importantes como a entrada do Estado do Maranhão no Consórcio; a equiparação das alíquotas de alguns produtos entre os estados; a compra compartilhada de medicamentos por meio do Brasil Central e o auxílio que pode ser prestados aos municípios

Iniciou, no Palácio Araguaia, em Palmas, mais uma edição da reunião do Conselho de Administração do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central; na reunião, foram discutidos temas importantes como a entrada do Estado do Maranhão no Consórcio; a equiparação das alíquotas de alguns produtos entre os estados; a compra compartilhada de medicamentos por meio do Brasil Central e o auxílio que pode ser prestados aos municípios
Iniciou, no Palácio Araguaia, em Palmas, mais uma edição da reunião do Conselho de Administração do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central; na reunião, foram discutidos temas importantes como a entrada do Estado do Maranhão no Consórcio; a equiparação das alíquotas de alguns produtos entre os estados; a compra compartilhada de medicamentos por meio do Brasil Central e o auxílio que pode ser prestados aos municípios (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - Iniciou nesta quinta-feira (1), no Palácio Araguaia, em Palmas, mais uma edição da reunião do Conselho de Administração do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central. Na reunião, foram discutidos temas importantes como a entrada do Estado do Maranhão no Consórcio; a equiparação das alíquotas de alguns produtos entre os estados; a compra compartilhada de medicamentos por meio do Brasil Central e o auxílio que pode ser prestados aos municípios.

De acordo com o secretário de Planejamento e Orçamento do Tocantins, David Torres, a ideia é “trazer para discussão também as ações práticas que já foram realizadas e estão tendo pleno êxito como a Operação Brasil Central, articulada pelas forças de Segurança Pública dos estados, e o Projeto Tutoria Pedagógica, desenvolvido pela Secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes [Seduc], em parceria com o a Fundação Itaú Social, em três cidades no entorno da Capital, que possuem baixa nota no Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica] e questões de vulnerabilidade de social”.

Os gestores destacaram a importância do Consórcio como um importante agente político e administrativo para a região do Brasil Central. “Juntos, os estados membros possuem um maior poder de negociação com o governo federal e uma maior bancada no Congresso Nacional, visto que possuímos um número maior de deputados federais e senadores lutando por projetos em comum que venham a beneficiar os estados que fazem parte do Brasil Central. Além disso, há a troca de informações e a possibilidades de parcerias”, contou David Torres.

O evento contou com a presença dos secretários de Planejamento dos estados que compõem o bloco e serve para debater os pontos que serão deliberados pelos governadores durante a Assembleia Geral, que ocorrerá nesta sexta-feira, 2.

Além de David Torres, a reunião contou com a presença do do secretário de Gestão e Planejamento de Goiás, Joaquim Mesquita; do secretário Adjunto de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal, Dalmo Jorge Lima Palmeira; do secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão de Rondônia, George Braga; do secretário Executivo de Planejamento de Mato Grosso, Anildo Cesário Correa; e do secretário de Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel.

Protagonismo Político

O secretário Executivo Interino do Conselho de Administração, Joaquim Mesquita, destacou que o Consórcio vem trazendo protagonismo político para os estados membros. “O Brasil Central tem permitido que a região tenha cada vez mais articulação política, por meio da participação decisiva dos governantes desses estados, o que certamente tem dinamizado a atuação no âmbito local e permitido que haja uma posição muito clara com o governo federal e com outras áreas de governo, para defesa desses interesses em comum”, disse.

O secretário Adjunto de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal, Dalmo Jorge Lima Palmeira, disse que o Consórcio amplia a importância do Brasil Central dentro do contexto nacional. “O Brasil Central é uma forma de estarmos promovendo o desenvolvimento desses estados adotando estratégias comuns. Assim, conseguiremos potencializar o crescimento e debater temas nas diversas áreas governamentais”, assegurou.

Já George Braga, secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão de Rondônia, contou como a discussão das alíquotas poderá gerar um maior fluxo de compra e venda entre os estados membros do Consórcio. “Algo que nos chama bastante atenção é a possibilidade de um mercado comum entre os estados membros. Isso é a alma desse Brasil Central, a união política, de ganho de capital, renda e arrecadação para os Estados. O mercado comum possibilitará que a gente compre e venda entre nós, mantendo uma mesma alíquota, possibilitando assim mais geração de empregos para a população”, contou.

Câmara Temática de Turismo

Na tarde desta quinta-feira, foi realizada também a Câmara Temática de Turismo do Consórcio Brasil Central, que se reuniu no Palácio Araguaia, para debater um projeto de integração do turismo de aventura e do ecoturismo dos Estados membros do Consórcio. Estiveram reunidos os secretários e dirigentes do Tocantins dos estados membros do bloco além dos presidentes da Fecomércio do Tocantins e do Distrito Federal.

Segundo o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura do Tocantins, Alexandro de Castro, a reunião da Câmara tem o intuito de validar a proposta que vai ser apresentada aos governadores. “É um plano de três metas que estaremos propondo para que possamos, a partir daí, buscar outras ações em conjunto”.

Logo após a reunião da Câmara de Turismo, o projeto foi apresentado ao Conselho Administrativo do Fórum, que avaliou a proposta como importante elemento de integração e projeção da imagem do Consórcio Brasil Central. A programação da 3ª reunião do Fórum do Brasil Central de 2017 continua nesta sexta-feira, 2.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247