Caiado também sugere que Dilma renuncie

"Se tivesse uma visão de estadista, ela teria a atitude que é das grandes pessoas que sabem o que é uma Presidência da República. Caminharia em reconhecer a sua incapacidade de representar o país e renunciaria a seu cargo para que nós pudéssemos convocar novas eleições", discursou nesta terça o líder do DEM no Sendo, Ronaldo Caiado (GO)

"Se tivesse uma visão de estadista, ela teria a atitude que é das grandes pessoas que sabem o que é uma Presidência da República. Caminharia em reconhecer a sua incapacidade de representar o país e renunciaria a seu cargo para que nós pudéssemos convocar novas eleições", discursou nesta terça o líder do DEM no Sendo, Ronaldo Caiado (GO)
"Se tivesse uma visão de estadista, ela teria a atitude que é das grandes pessoas que sabem o que é uma Presidência da República. Caminharia em reconhecer a sua incapacidade de representar o país e renunciaria a seu cargo para que nós pudéssemos convocar novas eleições", discursou nesta terça o líder do DEM no Sendo, Ronaldo Caiado (GO) (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - O líder do DEM, senador Ronaldo Caiado (GO), afirmou em discurso em Plenário nesta terça-feira (18) que a presidente da República, Dilma Rousseff, deve deixar o cargo. Para Caiado, o Brasil não suporta mais a insegurança jurídica generalizada. O resultado da situação, segundo ele, é que faltam investimentos ao país, há o aumento do desemprego e risco de uma hiperinflação. Diante disso, o senador goiano não vê outra saída além da renúncia de Dilma.

- Se tivesse uma visão de estadista, ela teria a atitude que é das grandes pessoas que sabem o que é uma Presidência da República. Caminharia em reconhecer a sua incapacidade de representar o país e renunciaria a seu cargo para que nós pudéssemos convocar novas eleições, afirmou Caiado.

O senador avalia que Congresso Nacional deve buscar uma saída para a crise institucional dentro das regras democráticas e constitucionais. Segundo Caiado, a Câmara dos Deputados não precisa mais aguardar parecer do Tribunal de Contas da União (TCU) para abrir o processo de cassação de Dilma Rousseff.

- No momento em que assina um decreto de crédito especial sem que ele seja aprovado pelo Congresso Nacional, a presidente descumpre a Constituição e descumpre aquilo que a Lei de Responsabilidade Fiscal impõe - afirmou o senador.

Ronaldo Caiado disse também que foi à manifestação do último domingo (16) na Avenida Paulista, na cidade de São Paulo. Para ele, as pessoas que se reuniram por lá mostraram tristeza e desilusão com a chegada da crise econômica às suas casas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email