Câmara Municipal aprova moção de apoio a Dilma e repúdio ao golpe

Vereadores de Fortaleza aprovaram, nesta quarta-feira (29), moção de repúdio ao golpe e de apoio ao retorno da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). O texto, apresentado pelo parlamentar Ronivaldo Maia (PT), diz que não há crime contra a petista, que o impeachment é “um golpe contra o Estado democrático” e “contra a estabilidade política, ao gerar insegurança e imprevisibilidade para os ocupantes de cargos eletivos”

Vereadores de Fortaleza aprovaram, nesta quarta-feira (29), moção de repúdio ao golpe e de apoio ao retorno da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). O texto, apresentado pelo parlamentar Ronivaldo Maia (PT), diz que não há crime contra a petista, que o impeachment é “um golpe contra o Estado democrático” e “contra a estabilidade política, ao gerar insegurança e imprevisibilidade para os ocupantes de cargos eletivos”
Vereadores de Fortaleza aprovaram, nesta quarta-feira (29), moção de repúdio ao golpe e de apoio ao retorno da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). O texto, apresentado pelo parlamentar Ronivaldo Maia (PT), diz que não há crime contra a petista, que o impeachment é “um golpe contra o Estado democrático” e “contra a estabilidade política, ao gerar insegurança e imprevisibilidade para os ocupantes de cargos eletivos” (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará247 - A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, nesta quarta-feira (29), moção de apoio ao retorno da presidente eleita Dilma Rousseff (PT) e contra o golpe à democracia que levou ao poder o presidente interino Michel Temer (PMDB). O requerimento, apresentado pelo vereador Ronivaldo Maia (PT), faz duras críticas à atual gestão, acusado de ter “deflagrado um irrefutável golpe de Estado”.

“O impeachment, da maneira como está sendo costurado, é sim um golpe. Não um golpe de Estado clássico, com o exército marchando sobre as ruas (...) mas um golpe contra o Estado democrático”, disse o parlamentar. 

O texto afirma ainda que não existe crime que justifique o afastamento de Dilma do comando do País. “É um golpe contra a estabilidade política, ao gerar insegurança e imprevisibilidade para os ocupantes de cargos eletivos”.

Aprovado pelos vereadores, a moção agora segue para a residência oficial da Presidência da República, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

(Com informações do jornal O Povo)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247