Campos: "está aberto o espaço para a mudança"

Mostrando sintonia com as manifestações que tomaram conta do país nos últimos dias,o governador de Pernambuco e potencial candidato à presidência da República em 2014, Eduardo Campos (PSB), declarou que “o espaço para quem vai representar a esperança de dias melhores, as mudanças, está em aberto; quem imaginaria, há 40 dias, que a situação política iria mudar tanto com as manifestações que aconteceram?”; a declaração é mais um sinal de que Campos voltou a dar carga total nas intenções de concorrer ao Planalto

Campos: "está aberto o espaço para a mudança"
Campos: "está aberto o espaço para a mudança"

PE247 - O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), emitiu mais um sinal sobre a sua potencial candidatura à Presidência da República em 2014. Mostrando sintonia com as manifestações que tomaram conta do país nos últimos 40 dias, Campos declarou que “O espaço para quem vai representar a esperança de dias melhores, as mudanças, está em aberto. Quem imaginaria, há 40 dias, que a situação política  iria mudar tanto com as manifestações que aconteceram?”, disse durante evento realizado nesta sexta-feira (12), em Belo jardim, interior do Estado.

Para o governador, o Governo Federal precisa, o quanto antes, dar respostas efetivas aos anseios da população que foram expressados durante os protestos registrados em todos os cantos do País. “É hora de cuidar da economia, botar o Brasil para crescer. O Governo Federal precisa colocar mais dinheiro na Saúde. A tabela paga pelo SUS (Sistema Único de Saúde) está congelada há dez anos e assim não se pode oferecer um serviço de qualidade à população. Precisamos de respostas objetivas”, pontuou, aproveitando a deixa para ampliar à crítica a um antigo pleito da classe médica.

De acordo com o Jornal do Commercio, campos foi questionado pelos repórteres “se este não seria o momento de aproveitar o cavalo que estaria passando selado à sua frente”, Campos declarou com bom humor que “em 2014 a gente vê como está o cavalo”. Segundo ele, esta resposta (sobre sua candidatura) vai depender do que for melhor para Pernambuco e para o Brasil.

Apesar das críticas contra o governo, do qual o PSB permanece na base aliada, o momento atual não é de ficar contra a presidente Dilma Rousseff (PT). “Temos que juntar forças. Todos nós temos que ouvir mais o povo. Não só ouvir, mas fazer. Temos uma pauta concreta, a de saúde. Precisamos, por exemplo, melhorar o atendimento de média complexidade”, observou.

Apesar da defesa ao Governo, Eduardo lembrou que já havia alertado a presidente Dilma sobre a necessidade de mudanças e que, agora, o povo irá cobrar esta fatura nas urnas. “Tínhamos esses sinais e eu disse isso a ela. Alertei que a base de sustentação do governo estava ultrapassada. Disse, no programa do PSB (guia eleitoral do partido na televisão), que o Brasil queria mais. E pouco depois a população mostrou isso nas ruas. Agora, o voto do povo vai exigir estas mudanças”, afirmou.

Nesta sábado, Campos est´pa em viagem ao Rio de Janeiro, onde participa do "Encontro Nacional de Militantes e Parlamentares Federais no Rio de Janeiro", organizado pelo deputado federal Glauber Braga (PSB-RJ). O encontro tem o objetivo de apresentar o governador à militância fluminense.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247