Canal de Xingó: primeira licitação será lançada em agosto

Para o governador em exercício Jackson Barreto (PMDB), empreendimento poderá ser a “obra do século” para os sergipanos, envolvendo, só na primeira fase, recursos de R$ 1,3 bilhão, e, no total, mais de R$ 2,4 bilhões; “temos de declarar o nosso reconhecimento ao trabalho executado pela Codevasf, e a presença do presidente aqui tem uma importância enorme no momento em que a viabilização do canal de Xingó que, sem dúvida, será a maior obra estruturante do semiárido”, disse; há possibilidade concreta de iniciar as obras já em 2014

Canal de Xingó: primeira licitação será lançada em agosto
Canal de Xingó: primeira licitação será lançada em agosto

ASN - Uma obra de 305 quilômetros (orçada em R$ 2,4 bilhões no total) esperada há décadas pelos sergipanos e que poderá, através da irrigação, redefinir a trajetória de desenvolvimento de todo o semiárido beneficiando a capacidade produtiva e a evolução social em diversos municípios sergipanos. Essa é a descrição que pode ser utilizada para definir a importância do Canal de Xingó, que foi o foco principal de uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira, 15, entre o governador em exercício, Jackson Barreto, e o presidente da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Elmo Vaz, no Palácio dos Despachos.

Participaram da reunião, o senador Antônio Carlos Valadares, o deputado federal Valadares Filho; o engenheiro Jessé Carvalho, assessor da presidência da Codevasf, o superintendente da Companhia em Sergipe, Paulo Viana, além dos secretários de Estado da Infraestrutura, Casa Civil e Agricultura, respectivamente, Valmor Barbosa, Silvio Santos e José Macêdo Sobral.

Pertinência

De acordo com o governador em exercício, Jackson Barreto, a oportunidade de contar com a presença do presidente da Codevasf para discutir pessoalmente os detalhes envolvidos numa obra que poderá ser a “obra do século” para os sergipanos, envolvendo, só na primeira fase, recursos de R$ 1,3 bilhão, e, no total, mais de R$ 2,4 bilhões, é de importância ímpar. “Temos de declarar o nosso reconhecimento ao trabalho executado pela Codevasf, e a presença do presidente aqui tem uma importância enorme no momento em que a viabilização do canal de Xingó que, sem dúvida, será a grande obra do século para o nosso estado, a maior obra estruturante do semiárido”, sentenciou Jackson Barreto.

Conforme o governador, a obra será oficializada com o anúncio de uma licitação já a partir do próximo mês de agosto, e com a possibilidade concreta de iniciar as obras já em 2014. “Discutimos os detalhes do projeto do canal de Xingó desde a sua nascente, em Paulo Afonso, na Bahia, onde a edificação ficará em uma altura bem superior, e de lá, por gravidade, receberemos água nos primeiros 103 quilômetros, de Paulo Afonso até Poço Redondo, na área do perímetro Jacaré-Curituba”, detalhou o governador, que abordou detalhes da obra a partir de um mapa trazido pelo presidente.

O governador também evidenciou que, pela dimensão, esta não é uma obra a ser concluída em apenas uma administração, mas que o modelo de projeto definido prevê que ela tenha perenidade e sustentabilidade até a sua conclusão. “Esse é um compromisso que temos, inclusive, da presidente Dilma Rousseff, pela importância que tem a obra para Sergipe e, sobretudo, para a sofrida região do semiárido sergipano, já que a obra passará pelos municípios de Canindé de São Francisco, Monte Alegre, Porto da Folha e Nossa Senhora da Glória”, lembrou Jackson Barreto.

Jacaré-Curituba

Outra temática abordada na reunião referiu-se ao gerenciamento do projeto Jacaré-Curituba, no momento onde a Codevasf conclui seus trabalhos nos sistemas de irrigação do perímetro. “A previsão é que estes trabalhos sejam concluídos ainda em 2013. Nós mostramos, com informações e dados, todo o trabalho desenvolvido nesse, que é o primeiro projeto de assentados da reforma agrária, cerca de 700 famílias, que já alcançam uma boa produtividade, mas que precisam discutir sobre a sustentabilidade da iniciativa após a conclusão das obras pela Codevasf”, explicou Jackson Barreto.

Baixo São Francisco

Na ocasião, o governador em exercício também aproveitou para levar ao conhecimento do presidente as reivindicações dos rizicultores parceleiros do baixo São Francisco, quanto à necessidade de investimentos e manutenção nos respectivos perímetros irrigados. “Lá estão sendo previstos investimentos da ordem de R$ 102 milhões nestes serviços que visam beneficiar a atividade produtiva em toda a área. Discutimos de forma detalhada todos os problemas que nos foram explicados pelos produtores de Propriá, do Betume, do Continguiba-Pindoba, elencadas através de assembleias populares ”, lembrou o governador.

O governador foi enfático ao transmitir ao presidente a necessidade evidenciada pelos produtores para que a Codevasf promovesse, de imediato, uma limpeza dos canais para o plantio do arroz. “Também mostramos a necessidade de recursos para custeio para que a Codevasf em Sergipe pudesse atender aos pleitos dos rizicultores sergipanos, os irrigantes que são pessoas carentes e necessitam da participação da Companhia no custeio dessa fase preparatória para o plantio na região de Propriá”, relatou o governador em exercício, ao destacar a importância de temas relacionados à conclusão de obras e definição de obras estruturantes no Sertão sergipano, no canal de Xingó e a preocupação com o baixo São Francisco.

“O que mais reivindicamos ao presidente é que sejamos rápidos, não somente nas decisões, mas na execução dessas obras, o que é uma cobrança constante dos nossos produtores de arroz”, frisou Jackson Barreto.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247