CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Candidatos do PMDB serão escolhidos por 5 pessoas

Com a intervenção no PMDB do Tocantins decretada pela executiva nacional, o poder de escolha de 190 membros do diretório e delegados sobre as candidaturas do PMDB foi substituído por cinco pessoas; segundo a decisão da nacional, irão escolher quem poderá se candidatar pelo partido: o senador Waldemir Moka, de Mato Grosso do Sul, a senadora Kátia Abreu, o ex-senador Leomar Quintanilha, o deputado Osvaldo Reis e o ex-vice-prefeito Derval de Paiva  

Com a intervenção no PMDB do Tocantins decretada pela executiva nacional, o poder de escolha de 190 membros do diretório e delegados sobre as candidaturas do PMDB foi substituído por cinco pessoas; segundo a decisão da nacional, irão escolher quem poderá se candidatar pelo partido: o senador Waldemir Moka, de Mato Grosso do Sul, a senadora Kátia Abreu, o ex-senador Leomar Quintanilha, o deputado Osvaldo Reis e o ex-vice-prefeito Derval de Paiva   (Foto: Aquiles Lins)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Tocantins 247 - Os delegados dos PMDB que iriam participar da convenção estadual da legenda, marcada inicialmente para o dia 24, estão revoltados. Muitos estão descobrindo que não terão mais o poder de decidir quem serão os candidatos do partido nas eleições de outubro. Teriam direito a votos os 70 membros do diretório e mais 120 delegados de todo o Tocantins. 

A decisão sobre as candidaturas foi retirada dos convencionas pela executiva nacional, ao decretar intervenção no partido. Quem escolherão os candidatos do PMDB será a comissão interventora, presidida pelo senador Waldemir Moka, de Mato Grosso do Sul, composta por membros dos "Autênticos": a senadora Kátia Abreu, o ex-senador Leomar Quintanilha, o deputado Osvaldo Reis e o ex-vice-prefeito Derval de Paiva. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na prática, além de confirmarem as candidaturas do ex-governador Marcelo Miranda ao governo e da senadora Kátia Abreu à reeleição, os cinco integrantes da comissão interventora poderão vetar as candidaturas de seus adversários. Além de não conseguir disputar o governo do Estado, Júnior Coimbra está ameaçado de não poder se candidatar à reeleição, bem como o deputado José Augusto Pugliesi também poderá não disputar a reeleição na Assembleia Legislativa.

Os aliados do deputado Júnior Coimbra garantem que a determinação da Executiva Nacional fere o estatuto do partido. Pugliesi sustenta que Coimbra continua na presidência até o dia 26, quando termina o prazo para ele se manifestar sobre a decisão de intervenção. O parlamentar defende também que é baseado simplesmente no fato de que a executiva nacional entende que os candidatos do PMDB no Tocantins devem ser Marcelo a governador e Kátia Abreu à reeleição no Senado.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Não há outro fato. Só isso. E a executiva nacional não tem poderes para escolher os candidatos do Tocantins, nem para dizer quem deve ser candidato. Todo cidadão filiado ao PMDB pode ser candidato", defendeu Pugliesi ao blog CT (leia aqui).

Leita também: Nacional faz intervenção no PMDB e aliado de Kátia assume comando

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO