Candidatos testam poder de comunicação

Na disputa por uma vaga na Prefeitura de São Paulo, Paulinho da Força, Soninha Francine, Gabriel Chalita, Celso Russomano, Fernando Haddad, José Serra e outros candidatos apresentam seus programas e fazem críticas aos adversários

Candidatos testam poder de comunicação
Candidatos testam poder de comunicação (Foto: Edição/247)

247 – Com a estreia do horário eleitoral gratuito, para os que disputam uma vaga na Câmara e nesta quarta para a Prefeitura, chegou o momento de os candidatos testarem seu poder de comunicação – e o de seus apoiadores. Ciente de que seu afilhado político ainda vai mal nas pesquisas (8% nas intenções de voto, segundo o Datafolha), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece na tevê elogiando e pedindo votos para Fernando Haddad, candidato do PT.

No programa do partido na tevê, Lula argumenta que, assim como soube escolher Dilma Rousseff para presidente, tem certeza de que fez a escolha certa também para a prefeitura de São Paulo. "Eu peço agora que vote em Fernando Haddad para prefeito", diz. Ele também define Haddad como "o melhor ministro da Educação da história" e afirma acreditar que ele devará ser também "o melhor prefeito da história". Em provocação à Serra, Haddad diz que São Paulo "não quer mais prefeito de meio período e de meio mandato", numa referência à saída do tucano da prefeitura para se candidatar ao governo do Estado. "Eu vou trabalhar de manhã e à noite", promete.

Em seus mais de sete minutos de programa, assim como Haddad, José Serra salienta que é um homem de ideias novas, garantindo que "para ser um bom prefeito, o importante não é ser novo", rebatendo a campanha petista, primeira a focar seu discurso no "novo", com um candidato jovem. Serra, que tem 70 anos, alia seu discurso à experiência que possui, lembrando aos eleitores dos programas que já realizou enquanto prefeito e governador, como a nova Ponte Estaiada, o Instituto do Câncer, a nova Avenida Jacu-Pêssego e eventos como a Virada Cultural. Ele não repete a promessa de que ficará até o fim do mandato e usa seu jingle para encerrar o programa ("Eu quero Serra, eu quero já", inspirado na música sertaneja "eu quero tchu, eu quero tcha").

Líder nas pesquisas eleitorais, o candidato do PRB, Celso Russomano, passa boa parte do tempo agradecendo ao eleitorado "pelo carinho" e pelo seu desempenho nas intenções de voto. Segundo último Datafolha, publicado nesta terça-feira 21, Russomano, que agora tem 31% das intenções de voto, ultrapassou o antes líder Serra, que agora tem 27%. "Com humildade e determinação, vamos juntos escrever uma nova história para São Paulo", diz o candidato. Nos seus poucos mais de dois minutos, Russomano não apresenta programas específicos, mas garante que dará saúde, educação, segurança e transporte para São Paulo. O programa de Russomano termina com uma história contada pelo candidato a vice, Flávio D´Urso (PTB).

Por último nas pesquisas

O candidato do PMDB, Gabriel Chalita, usou os adversários PSDB e PT para dizer que ele terá um papel conciliador, negociando tanto com o governo federal, da presidente Dilma Rousseff (PT), quanto com o governo do Estado de São Paulo, do tucano Geraldo Alckmin. "Eu não quero saber de briga, eu vim aqui para trabalhar". Chalita tem o apoio do vice-presidente da República, Michel Temer, em sua candidatura. No programa, Temer aparece definindo Chalita como um candidato que "tem muita vontade de trabalhar". No último Datafolha, o peemedebista apareceu com 6% das intenções de voto.

Com seu pouco tempo na tevê, a candidata do PPS, Soninha Francine, não apresenta planos para a cidade, mas destaca as experiências que já teve, como repórter e vice-prefeita, e diz: "Eu queria fazer mais". Ela acrescenta que "não quer que ninguém viva mal aqui". Soninha tem 5% das intenções de voto.

O candidato Paulinho da Força (PDT), com apenas 4% no Datafolha, fala da vida dificil que já teve até sua ascensão a deputado. O programa o apresenta como "a pessoa que mais conquistou direitos para os trabalhadores".

Candidata do PSTU, Ana Luiza se limita a criticar os outros candidatos e partidos, relacionando a gestão de Gilberto Kassab a acusações de corrupção e lembrando que ele apoia José Serra. Ela lembra de acusações do envolvimento entre a organização criminosa de Carlos Cachoeira e o candidato tucano e critica a aliança do PT com o deputado federal Paulo Maluf (PP). Por fim, diz que "o PSTU defende o confisco dos bens de todos os corruptos".

O horário eleitoral gratuito começou ontem com os candidatos a vereador, que apresentam suas propostas às terças, quintas e sábados. Os candidatos a prefeito têm seus programas veiculas nas segundas, quartas e sextas-feiras. Na tevê, as transmissões acontecem entre 13h e 13h30 e 20h30 e 21h. Nas rádios, a propaganda é veiculada entre 7h e 7h30 e entre 12h e 12h30.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247