Cantareira registra novo recorde negativo: 11,9%

Pela primeira vez o nível exibido pelo sistema era abaixo dos 12% nesta terça-feira; situação atual é a pior desde que o reservatório foi criado, na década de 1970, e apesar do baixo nível das represas, o governo paulista não decretou racionamento para a região metropolitana, apenas medidas como descontos para quem economizar e multa para quem aumentar o consumo de água

A view of the water catchment of the Cantareira water supply system at Jaguari dam in Joanopollis, 136 km (77 miles) from Sao Paulo February 21, 2014. The water levels of the Cantareira system, which serves 9.3 million residents in Sao Paulo's metropolita
A view of the water catchment of the Cantareira water supply system at Jaguari dam in Joanopollis, 136 km (77 miles) from Sao Paulo February 21, 2014. The water levels of the Cantareira system, which serves 9.3 million residents in Sao Paulo's metropolita (Foto: Gisele Federicce)

SÃO PAULO, 22 Abr (Reuters) - O conjunto de represas Cantareira, mais importante para o abastecimento da região metropolitana de São Paulo, registrava nível de armazenamento abaixo da casa dos 12 por cento pela primeira vez nesta terça-feira, continuando movimento de esgotamento apesar de medidas tomadas recentemente pelo governo do Estado.

O nível exibido pela sistema de reservatórios nesta terça-feira era de 11,9 por cento ante 13,4 por cento no início do mês e de 27 por cento no começo de janeiro, segundo dados da empresa de águas estadual Sabesp.

A situação atual é a pior desde que o sistema Cantareira foi criado, na década de 1970, e apesar do baixo nível das represas, o governo do Estado ainda não decretou racionamento para a região metropolitana, optando por medidas como desconto nas tarifas de consumidores que economizarem água.

A presidente da Sabesp, Dilma Pena, afirmou em 10 de abril que a projeções a empresa apontam para segurança no abastecimento de água, sem racionamento até o final deste ano, mesmo considerando o pior cenário de chuvas e utilização da chamada "reseva técnica".

A reserva técnica reúne água que fica no fundo dos reservatórios e que a Sabesp quer utilizar para ajudar no abastecimento.

A utilização desse recurso causa preocupação na Agência Nacional de Águas (ANA) diante de riscos ambientais que podem surgir quando sendimentos das represas do Cantareira foram revolvidos para a captação da água.

As ações da Sabesp exibiam alta de 1,1 por cento nesta terça-feira, enquanto o Ibovespa tinha recuo de 0,35 por cento. Os papéis subiam depois que o governo do Estado autorizou na quinta-feira reajuste de 5,44 por cento nas tarifas da Sabesp, acima dos 4,66 por cento divulgados anteriormente pela agência reguladora estadual Arsesp.

Na véspera, segundo informações da imprensa local, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que consumidores que consumirem água acima da média a partir de maio terão suas contas elevadas em 30 por cento.

Representantes do governo do Estado não puderam comentar o assunto nesta terça-feira e representantes da secretaria de saneamento não estavam disponíveis.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247