Capacitação transforma hobby de vendedor em negócio lucrativo

Em 2005, ele trabalhava numa papelaria; Foi quando percebeu que muitos clientes procuravam álbuns mais artesanais e começou a produzir as peças em casa; A aceitação foi tanta que logo ele largou o emprego e virou fornecedor do ex-patrão. Para abrir o próprio negócio, Carlos investiu R$ 3 mil; Com o crescimento nas vendas, o trabalho feito à mão ganhou uma ajudinha da tecnologia

Em 2005, ele trabalhava numa papelaria; Foi quando percebeu que muitos clientes procuravam álbuns mais artesanais e começou a produzir as peças em casa; A aceitação foi tanta que logo ele largou o emprego e virou fornecedor do ex-patrão. Para abrir o próprio negócio, Carlos investiu R$ 3 mil; Com o crescimento nas vendas, o trabalho feito à mão ganhou uma ajudinha da tecnologia
Em 2005, ele trabalhava numa papelaria; Foi quando percebeu que muitos clientes procuravam álbuns mais artesanais e começou a produzir as peças em casa; A aceitação foi tanta que logo ele largou o emprego e virou fornecedor do ex-patrão. Para abrir o próprio negócio, Carlos investiu R$ 3 mil; Com o crescimento nas vendas, o trabalho feito à mão ganhou uma ajudinha da tecnologia (Foto: Luis Mauro Queiroz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Sebrae - Quase todo artista vive esse dilema: sabe criar, mas tem não tem foco empresarial. Em Salvador, um artesão resolveu encarar esse desafio. Fez um curso no Sebrae para aprender a administrar o próprio negócio. Carlos Ferrari passou a fazer parte da chamada economia criativa: transformou o hobby de criar álbum de fotografia em negócio.


Em 2005, ele trabalhava numa papelaria. Foi quando percebeu que muitos clientes procuravam álbuns mais artesanais e começou a produzir as peças em casa. A aceitação foi tanta que logo ele largou o emprego e virou fornecedor do ex-patrão. Para abrir o próprio negócio, Carlos investiu R$ 3 mil. Com o crescimento nas vendas, o trabalho feito à mão ganhou uma ajudinha da tecnologia.


Logo, no entanto, a idéia de Carlos começou a ser copiada e o movimento de sua empresa caiu. Foi quando o artesão se deu conta de que só criatividade não bastava. Para tocar o negócio, era preciso saber planejar e administrar. Ele procurou o Sebrae e fez o Empretec, curso que adota metodologia das Nações Unidas para desenvolver o comportamento empreendedor de uma pessoa.


Promovido em 34 países, só no Brasil o Empretec já capacitou 215 mil pessoas. Para 75% dos empresários, o lucro aumentou depois do curso. E para ajudar pequenos empresários como Carlos a dar ainda mais foco ao negócio, o Sebrae oferece consultorias em economia criativa. O artesão já desenvolveu mais de 100 produtos para aumentar o faturamento. A maioria das vendas é feita em parceria com fotógrafos.


Saiba mais sobre economia criativa e como planejar melhor o seu negócio no programa Pequenas Empresas Grandes Negócios deste domingo (18), na TV Globo, às 7h30. O programa será reapresentado no mesmo dia pela GloboNews, às 8h30, e no Canal Futura na segunda-feira (19), às 16h30, na terça-feira (20), às 5h, e no sábado (24), às 15h.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247