Casal suspende rodízio de água em Maceió

Uma semana antes do previsto e o rodízio no abastecimento de água em Maceió está suspenso; no entanto, a água só deve chegar aos locais mais altos e distantes quando estiver pressurizada dentro dos canos; 2ª etapa do processo de manutenção e recuperação do segundo decantador do Sistema Pratagy teve início no dia 14 de abril, afetando 22 bairros de Maceió; previsão era de que os trabalhos fossem concluídos apenas no dia 17 de maio; a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) adiantou, ainda, que está fazendo uma licitação para contratação de empresas que ficarão responsáveis por cuidar dos vazamentos na cidade

Uma semana antes do previsto e o rodízio no abastecimento de água em Maceió está suspenso; no entanto, a água só deve chegar aos locais mais altos e distantes quando estiver pressurizada dentro dos canos; 2ª etapa do processo de manutenção e recuperação do segundo decantador do Sistema Pratagy teve início no dia 14 de abril, afetando 22 bairros de Maceió; previsão era de que os trabalhos fossem concluídos apenas no dia 17 de maio; a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) adiantou, ainda, que está fazendo uma licitação para contratação de empresas que ficarão responsáveis por cuidar dos vazamentos na cidade
Uma semana antes do previsto e o rodízio no abastecimento de água em Maceió está suspenso; no entanto, a água só deve chegar aos locais mais altos e distantes quando estiver pressurizada dentro dos canos; 2ª etapa do processo de manutenção e recuperação do segundo decantador do Sistema Pratagy teve início no dia 14 de abril, afetando 22 bairros de Maceió; previsão era de que os trabalhos fossem concluídos apenas no dia 17 de maio; a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) adiantou, ainda, que está fazendo uma licitação para contratação de empresas que ficarão responsáveis por cuidar dos vazamentos na cidade (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - O rodízio no abastecimento de água está suspenso na capital alagoana, conforme informou a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), na manhã desta segunda-feira (11). O anúncio foi feito uma semana antes do previsto pela distribuidora, diante do término dos trabalhos na Estação de Tratamento de Águas (ETA) do Pratagy. Apesar da suspensão, a água só deve começar a chegar em locais mais altos e distantes quando a água estiver pressurizada dentro dos canos. 

Também nesta segunda, durante entrevista coletiva, a Casal adiantou que está fazendo uma licitação para contratação de empresas que ficarão responsáveis por cuidar dos vazamentos na cidade. Quando as vencedoras começarem a atuar, o problema terá que ser resolvido dentro de 24 horas, depois de identificado. A licitação deve sair em até 30 dias. 

A 2ª etapa do processo de manutenção e recuperação do segundo decantador da ETA do Sistema Pratagy teve início no último dia 14 de abril, afetando 22 bairros de Maceió. A previsão era que os trabalhos fossem concluídos apenas no dia 17 de maio. Como resultado dos trabalhos, a Casal disse que conseguiu maior segurança no abastecimento, garantia da qualidade de água, acréscimo na produção (400 m³/hora, considerando a recuperação dos dois decantadores) e a redução das perdas em descargas dentro do decantador. 

O vice-presidente da Casal, Francisco Beltrão, agradeceu à população pela paciência durante o rodízio e também aos técnicos da companhia que, segundo ele, trabalharam diariamente, por 24 horas, para que os trabalhos fossem concluídos o quanto antes. Neste domingo (10), a recuperação da ETA foi concluída e os últimos testes foram realizados. 

A recuperação dos dois decantadores teve representou um custo de R$ 1,5 milhões. A capacidade da estação passou de 3.400 m³/hora para 3.800 m³/h. O objetivo, a partir de agora, é ampliar ainda mais a capacidade da ETA. 

“Estamos fazendo um trabalho para ampliação da ETA do Pratagy. A ideia é acabar com os poços artesianos e captar água na reserva do Meirim, o que vai aumentar a capacidade da ETA em 40%. Hoje ela atende 40% de Maceió, então passaria para 80%. O planejamento é para 10 anos”, afirma Francisco Beltrão.

Com gazetaweb.com

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247