Cassado, Demóstenes Torres dá banho de champanhe de R$ 5 mil na enteada

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO) dando um banho de champanhe da marca Veuve Clicquot em sua enteada; uma garrafa de três litros da bebida, igual a utilizada por Demóstenes, custa cerca de R$ 5 mil; ex-senador respondia a um processo por corrupção passiva e advocacia privilegiada ao advogado Carlinhos Cachoeira, o que lhe rendeu, em 2012, a cassação de seu mandato, e permanece inelegível até 2023; acesso o vídeo publicado pelo Poder 360

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO) dando um banho de champanhe da marca Veuve Clicquot em sua enteada; uma garrafa de três litros da bebida, igual a utilizada por Demóstenes, custa cerca de R$ 5 mil; ex-senador respondia a um processo por corrupção passiva e advocacia privilegiada ao advogado Carlinhos Cachoeira, o que lhe rendeu, em 2012, a cassação de seu mandato, e permanece inelegível até 2023; acesso o vídeo publicado pelo Poder 360
Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO) dando um banho de champanhe da marca Veuve Clicquot em sua enteada; uma garrafa de três litros da bebida, igual a utilizada por Demóstenes, custa cerca de R$ 5 mil; ex-senador respondia a um processo por corrupção passiva e advocacia privilegiada ao advogado Carlinhos Cachoeira, o que lhe rendeu, em 2012, a cassação de seu mandato, e permanece inelegível até 2023; acesso o vídeo publicado pelo Poder 360 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o ex-senador Demóstenes Torres (PTB-GO) dando um banho de champanhe da marca Veuve Clicquot em sua enteada. Uma garrafa de três litros da bebida, igual a utilizada por Demóstenes, custa cerca de R$5 mil.

O vídeo foi gravado durante uma festa de comemoração, no último sábado (24), pelo fato de sua enteada ter sido aprovada no vestibular de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O ex-senador respondia a um processo por corrupção passiva e advocacia privilegiada ao advogado Carlinhos Cachoeira, o que lhe rendeu, em 2012, a cassação de seu mandato. Em 2016, o Supremo Tribunal Federal (STF) anulou as provas que embasavam a denúncia. Mesmo assim, Demóstenes permanece inelegível até 2023.

Assista ao vídeo que mostra o banho de champanhe.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247