Celso Amorim: nome da união das esquerdas é 'Lula Livre'

Durante ato pela liberdade do ex-presidente Lula no início da noite desta quarta-feira, 25, no Teatro Oficina, em São Paulo, o ex-chanceler Celso Amorim defendeu a união das esquerdas contra a escalada do fascismo e contra a prisão política de Lula; "Defendo a união das forças progressistas em defesa da democracia, e o nome dessa defesa agora é #LulaLivre", diz o ex-ministro Celso Amorim

Durante ato pela liberdade do ex-presidente Lula no início da noite desta quarta-feira, 25, no Teatro Oficina, em São Paulo, o ex-chanceler Celso Amorim defendeu a união das esquerdas contra a escalada do fascismo e contra a prisão política de Lula; "Defendo a união das forças progressistas em defesa da democracia, e o nome dessa defesa agora é #LulaLivre", diz o ex-ministro Celso Amorim
Durante ato pela liberdade do ex-presidente Lula no início da noite desta quarta-feira, 25, no Teatro Oficina, em São Paulo, o ex-chanceler Celso Amorim defendeu a união das esquerdas contra a escalada do fascismo e contra a prisão política de Lula; "Defendo a união das forças progressistas em defesa da democracia, e o nome dessa defesa agora é #LulaLivre", diz o ex-ministro Celso Amorim (Foto: Aquiles Lins)

247 - Durante ato pela liberdade do ex-presidente Lula no início da noite desta quarta-feira, 25, no Teatro Oficina, em São Paulo, o ex-chanceler Celso Amorim defendeu a união das esquerdas contra a escalada do fascismo e contra a prisão política de Lula. 

"Defendo a união das forças progressistas em defesa da democracia, e o nome dessa defesa agora é #LulaLivre", diz o ex-ministro Celso Amorim. 

Participam do ato artistas intelectuais, políticos e ativistas, entre eles o ator e dramaturgo José Celso Martinez, o vereador de São Paulo Eduardo Suplicy, o escritor Frei Betto e o presidente do IONstituto Lula, Paulo Okamotto. 

Assista ao evento: 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247