Chacina: sargentos agiram em "legítima defesa"

O juiz André de Mourão Motta mandou soltar na noite desta segunda-feira (27) os dois sargentos do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) detidos após trocar tiros e matar Rodrigo Luiz Marques Cerqueira, de 22 anos, um dos autores da chacina na casa de pagode no Bairro São Geraldo, Região Leste de Belo Horizonte

Chacina: sargentos agiram em "legítima defesa"
Chacina: sargentos agiram em "legítima defesa" (Foto: Divulgação)

Minas 247 - O tiroteio na noite do último domingo resultou em quatro mortos e quatro feridos. Cerqueira foi morto pelos policias militares quando tentava fugir da cena do crime na garupa de uma moto, no fim da noite de domingo. O homem que conduzia a moto conseguiu fugir. Uma terceira pessoa, que dava proteção à dupla, também escapou.

Em nota oficial, a Polícia Militar informa que "a Justiça Militar do Estado de Minas Gerais garante que os militares do Gate agiram em legítima defesa". Para a PM, "os policiais militares agiram de acordo com os princípios da legalidade, da necessidade e da proporcionalidade da conveniência e da moderação, com a finalidade de preservar vidas e garantir a segurança de moradores da região".

Chacina

Disputa por pontos de droga é a causa mais provável para a chacina ocorrida Restaurante Viola Encantada, na Avenida Itaité, 117. O acontecimento é mais um capítulo da guerra de quadrilhas na região que já dura quatro anos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247