Chapada Diamantina tem novo foco de incêndio

Um novo foco de incêndio foi criado na Serra do Boqueirão, conhecida como Sobradinho, na Chapada Diamantina, por contada ocorrência de raios; chefe do Parque Nacional da Chapada, César Gonçalves disse que é a primeira vez que o incêndio que atinge a região foi provocado por causas naturais e não pelo homem; de acordo com a Secretaria de Meio Ambiente da Bahia, o foco consumiu entre 15 mil e 30 mil hectares em toda a região da Chapada, ou seja, dentro e fora do parque

Um novo foco de incêndio foi criado na Serra do Boqueirão, conhecida como Sobradinho, na Chapada Diamantina, por contada ocorrência de raios; chefe do Parque Nacional da Chapada, César Gonçalves disse que é a primeira vez que o incêndio que atinge a região foi provocado por causas naturais e não pelo homem; de acordo com a Secretaria de Meio Ambiente da Bahia, o foco consumiu entre 15 mil e 30 mil hectares em toda a região da Chapada, ou seja, dentro e fora do parque
Um novo foco de incêndio foi criado na Serra do Boqueirão, conhecida como Sobradinho, na Chapada Diamantina, por contada ocorrência de raios; chefe do Parque Nacional da Chapada, César Gonçalves disse que é a primeira vez que o incêndio que atinge a região foi provocado por causas naturais e não pelo homem; de acordo com a Secretaria de Meio Ambiente da Bahia, o foco consumiu entre 15 mil e 30 mil hectares em toda a região da Chapada, ou seja, dentro e fora do parque (Foto: Leonardo Lucena)

Bahia 247 - Um novo foco de incêndio foi criado na Serra do Boqueirão, conhecida como Sobradinho, na Chapada Diamantina, por contada ocorrência de raios. O chefe do Parque Nacional da Chapada, César Gonçalves, diz que é a primeira vez que o incêndio que atinge a região foi provocado por causas naturais e não pelo homem.

“Houve raios à noite. É o primeiro fogo natural na região. Os outros foram causados pelo homem. O fogo foi controlado na serra e agora estamos fazendo monitoramento para evitar que o fogo avance”, afirmou o chefe do parque, conforme relato do G1. Ainda há focos de incêndio em Morro Branco e Barro Branco.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente da Bahia (Sema-BA), o foco consumiu entre 15 mil e 30 mil hectares em toda a região da Chapada, ou seja, dentro e fora do parque. “A informação é de que no Morro Branco o fogo está em áreas em que o acesso está difícil. A gente está controlando para que não passe do vale. No Barro Branco, o trabalho é bem parecido, de controlar o fogo em solo de matéria orgânica para que não avance”, acrescentou César.

O secretário de Meio Ambiente do Estado, Eugênio Spengler, informou que a região de Folha Larga, próximo ao Rio de Lençóis, ainda é atingida pelo fogo. Em Morro Branco, no entanto, a situação do incêndio é mais crítica. O dirigente afirmou que as equipes do Corpo de Bombeiros e as aeronaves que prestam apoio não têm previsão para deixar a região da Chapada. “A desmobilização só se dará no momento que o fogo for extinto, por enquanto mantém-se toda a estrutura”, acrescentou.

Segundo o titular da Sema-BA, o avião Hércules, da Força Aérea Brasileira (FAB), foi retirado de combate para passar por manutenção. “Os pontos onde ocorre o fogo são muito altos. Em uma avaliação técnica, vimos que a aeronave poderia ficar momentaneamente fora de atuação”, complementou. Ainda seguem em atividade na Chapada sete aviões e quatro helicópteros.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247