Ciro se compromete a libertar o almirante Othon

O ex-ministro e presidenciável do PDT, Ciro Gomes, se comprometeu a trabalhar pela libertação do vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, mentor do programa nuclear brasileiro durante quatro governos sucessivos; "Se eu chegar à Presidência da República, vou mandar examinar este assunto e vou pensar em anistiá-lo, porque é o grande cérebro do programa nuclear brasileiro", disse Ciro durante palestra para estudantes de Relações Internacionais; o pedetista defendeu a transferência de tecnologias importantes para o Brasil exercer um protagonismo no cenário global, como desenvolvimento de foguetes, propulsão nuclear, microeletrônica e satélites; Othon Pinheiro foi condenado a 43 anos de prisão no ano passado, acusado de receber propinas nas obras da usina nuclear de Angra 3 

O ex-ministro e presidenciável do PDT, Ciro Gomes, se comprometeu a trabalhar pela libertação do vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, mentor do programa nuclear brasileiro durante quatro governos sucessivos; "Se eu chegar à Presidência da República, vou mandar examinar este assunto e vou pensar em anistiá-lo, porque é o grande cérebro do programa nuclear brasileiro", disse Ciro durante palestra para estudantes de Relações Internacionais; o pedetista defendeu a transferência de tecnologias importantes para o Brasil exercer um protagonismo no cenário global, como desenvolvimento de foguetes, propulsão nuclear, microeletrônica e satélites; Othon Pinheiro foi condenado a 43 anos de prisão no ano passado, acusado de receber propinas nas obras da usina nuclear de Angra 3 
O ex-ministro e presidenciável do PDT, Ciro Gomes, se comprometeu a trabalhar pela libertação do vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, mentor do programa nuclear brasileiro durante quatro governos sucessivos; "Se eu chegar à Presidência da República, vou mandar examinar este assunto e vou pensar em anistiá-lo, porque é o grande cérebro do programa nuclear brasileiro", disse Ciro durante palestra para estudantes de Relações Internacionais; o pedetista defendeu a transferência de tecnologias importantes para o Brasil exercer um protagonismo no cenário global, como desenvolvimento de foguetes, propulsão nuclear, microeletrônica e satélites; Othon Pinheiro foi condenado a 43 anos de prisão no ano passado, acusado de receber propinas nas obras da usina nuclear de Angra 3  (Foto: Aquiles Lins)

Ceará 247 - O ex-ministro e presidenciável do PDT, Ciro Gomes, se comprometeu a trabalhar pela libertação do vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, mentor do programa nuclear brasileiro durante quatro governos sucessivos. 

"Se eu chegar à Presidência da República, vou mandar examinar este assunto e vou pensar em anistiá-lo, porque é o grande cérebro do programa nuclear brasileiro", disse Ciro durante palestra para estudantes de Relações Internacionais. 

Pedetista defendeu a transferência de tecnologias importantes para o Brasil exercer um protagonismo no cenário global, como desenvolvimento de foguetes, propulsão nuclear, microeletrônica e satélites.

Em agosto de 2016, Othon foi condenado pelo juiz Marcelo Bretas a a 43 anos de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, embaraço a investigações, evasão de divisas e organização criminosa. Outros 12 réus também foram condenados na ação penal, que investiga crimes cometidos na construção da usina nuclear de Angra 3. O engenheiro foi preso em julho de 2015, foi para o regime aberto em dezembro, mas voltou a ser preso no mês passado pela PF durante a Operação Pripyat acusado de continuar a exercer influência na Eletronuclear.

Othon apresenta currículo respeitável. Confira:

Formação acadêmica

– 1960 – Oficial de Marinha do Corpo da Armada

– 1966 – Engenharia Naval. Cursou simultaneamente as especialidades de Arquitetura Naval e Máquinas

– 1978 – Mestrado em Engenharia Mecânica pelo MIT

Atuação profissional

– Atingiu o posto de vice-almirante no corpo de engenheiros e técnicos navais, o mais alto posto da carreira naval para oficiais engenheiros.

– Fundador e responsável pelo programa de desenvolvimento do ciclo do combustível nuclear e da propulsão nuclear para submarinos de 1979 a 1994.

– Autor do projeto de concepção de ultracentrífugas para enriquecimento de urânio.

– De 1982 a 1984 foi diretor de pesquisas de reatores do Ipen.

– Autor do projeto de concepção da instalação de propulsão nuclear para submarinos brasileiros e do reator de teste, protótipo de terra dessa instalação.

– Coordenador de projeto e desenvolvimento dos laboratórios de grande porte, necessários à validação experimental de equipamentos e componentes do sistema de propulsão nuclear para submarinos, assim como projeto e desenvolvimento desses equipamentos e componentes e sua fabricação na indústria brasileira.

– Diretor-presidente da Eletrobras Eletronuclear.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247