Ciro volta a atacar Lula: 'Tá pensando que o povo é imbecil?'

Ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, disse que a narrativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT é "insustentável" diante das alianças feitas e do depoimento do ex-ministro Antonio Palocci. 'Estou de acordo, houve um golpe no país. Sucede daí que quem fez esse golpe foi o Senado, cujo presidente era o Renan Calheiros, cujo novo presidente é o Eunício Oliveira. O que faz o PT, agora? Vota no Eunício para presidente do Senado e o Lula chega a Alagoas, na visita que faz ao Nordeste, e se abraça com Renan Calheiros. Tá pensando que o povo é imbecil?", completou

Ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, disse que a narrativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT é "insustentável" diante das alianças feitas e do depoimento do ex-ministro Antonio Palocci. 'Estou de acordo, houve um golpe no país. Sucede daí que quem fez esse golpe foi o Senado, cujo presidente era o Renan Calheiros, cujo novo presidente é o Eunício Oliveira. O que faz o PT, agora? Vota no Eunício para presidente do Senado e o Lula chega a Alagoas, na visita que faz ao Nordeste, e se abraça com Renan Calheiros. Tá pensando que o povo é imbecil?", completou
Ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, disse que a narrativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT é "insustentável" diante das alianças feitas e do depoimento do ex-ministro Antonio Palocci. 'Estou de acordo, houve um golpe no país. Sucede daí que quem fez esse golpe foi o Senado, cujo presidente era o Renan Calheiros, cujo novo presidente é o Eunício Oliveira. O que faz o PT, agora? Vota no Eunício para presidente do Senado e o Lula chega a Alagoas, na visita que faz ao Nordeste, e se abraça com Renan Calheiros. Tá pensando que o povo é imbecil?", completou (Foto: Paulo Emílio)

Ceará 247 - O ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, disse que a narrativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT é "insustentável" diante das alianças feitas e do depoimento do ex-ministro Antonio Palocci.

"O Lula sabe o que fez. E não dá para ter uma narrativa dizendo o seguinte: olha, eu sou um perseguido político pelos adversários da direta, a serviço dos tucanos, etc e tal, quando seu parceiro de dois, oito, vinte, trinta anos, é quem assume a titularidade de uma denúncia como essa. Essa narrativa não se sustenta", disse Ciro durante um evento na FGV, no Rio de Janeiro.

"É como você falar o seguinte: houve um golpe de Estado no país. Estou de acordo, houve um golpe no país. Sucede daí que quem fez esse golpe foi o Senado, cujo presidente era o Renan Calheiros, cujo novo presidente é o Eunício Oliveira. O que faz o PT, agora? Vota no Eunício para presidente do Senado e o Lula chega a Alagoas, na visita que faz ao Nordeste, e se abraça com Renan Calheiros. Tá pensando que o povo é imbecil?", completou.

Ciro já havia queimado uma possível ponte de apoio com o PT ao validar a delação de Palocci. "Na medida em que um braço direito de Lula (Palocci) faz isso, fica difícil sustentar a narrativa e atribuir a inimigos, agora a narrativa já evolui para que o Palocci estaria mentindo para obter favores da delação", disse Ciro nesta semana.

Caso Lula venha a ser impedido de disputar a eleição em 2018, por conta de uma eventual condenação em segunda instância, o ex-presidente poderia ser uma espécie de cabo eleitoral do candidato trabalhista, como muitos membros do PT já admitiam essa possibilidade. A hipótese, agora, parece cada vez mais distante.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247