Com 4.576 assassinatos, Pernambuco tem o ano mais violento desde 2010

Número de assassinatos em Pernambuco ao longo de 2017 coloca o Estado em uma espécie de zona de guerra. Segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), em outubro foram registrados 432 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), elevando para 4.576 o total de homicídios, o que coloca o ano de 2017 como o mais violento desde 2010; no ano passado, o total de assassinatos foi de 4.479; crescimento da violência coloca em xeque a principal vitrine do  governador Paulo Câmara (PSB) na área de segurança pública: o Pacto Pela Vida

Paulo Câmara violência homicídio pernambuco
Paulo Câmara violência homicídio pernambuco (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O número de assassinatos em Pernambuco ao longo de 2017 coloca o Estado em uma espécie de zona de guerra. Segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), em outubro foram registrados 432 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), elevando para 4.576 o total de homicídios, o que coloca o ano de 2017 como o mais violento desde 2010. No ano passado, o total de assassinatos foi de 4.479.

Entre os meses de setembro e outubro foi registrado um aumento de 1,97% na média diária de assassinatos, que chegou a 13,94 por dia, contra 13,67 no mês anterior. A SDS relaciona que 54% dos crimes estão ligados ao tráfico de drogas, acerto de contas e outras atividades criminais (54%). Outros 15% teriam origem em conflitos na comunidade e 3% seriam frutos de conflitos familiares ou de relações afetivas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247