Com R$ 600 milhões, Goiás tem, proporcionalmente, maior superávit do Brasil

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o governador Marconi Perillo mostrou números do Estado na área fiscal; "Neste ano nós multiplicamos por 100 vezes o superávit primário de 2015, que foi de R$ 6 milhões”, disse, ressaltando que “esse é um motivo para comemoração”; "Posso afirmar que dificilmente teremos outro Estado com um resultado semelhante ao nosso"; governador destacou a importância do ajuste fiscal iniciado em 2014 e destacou que Goiás foi o primeiro estado a aprovar um novo pacote de medidas após o acordo com a União; "Em 2014, tivemos um déficit orçamentário de R$ 1,3 bilhão, em 2015 déficit de R$ 1,8 bilhão e em 2016 houve superávit de R$ 600 milhões”

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o governador Marconi Perillo mostrou números do Estado na área fiscal; "Neste ano nós multiplicamos por 100 vezes o superávit primário de 2015, que foi de R$ 6 milhões”, disse, ressaltando que “esse é um motivo para comemoração”; "Posso afirmar que dificilmente teremos outro Estado com um resultado semelhante ao nosso"; governador destacou a importância do ajuste fiscal iniciado em 2014 e destacou que Goiás foi o primeiro estado a aprovar um novo pacote de medidas após o acordo com a União; "Em 2014, tivemos um déficit orçamentário de R$ 1,3 bilhão, em 2015 déficit de R$ 1,8 bilhão e em 2016 houve superávit de R$ 600 milhões”
Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o governador Marconi Perillo mostrou números do Estado na área fiscal; "Neste ano nós multiplicamos por 100 vezes o superávit primário de 2015, que foi de R$ 6 milhões”, disse, ressaltando que “esse é um motivo para comemoração”; "Posso afirmar que dificilmente teremos outro Estado com um resultado semelhante ao nosso"; governador destacou a importância do ajuste fiscal iniciado em 2014 e destacou que Goiás foi o primeiro estado a aprovar um novo pacote de medidas após o acordo com a União; "Em 2014, tivemos um déficit orçamentário de R$ 1,3 bilhão, em 2015 déficit de R$ 1,8 bilhão e em 2016 houve superávit de R$ 600 milhões” (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Os resultados dos exercícios financeiro e fiscal do Governo de Goiás em 2016 mostram que a administração Marconi Perillo atingiu os objetivos estabelecidos no conjunto das medidas de ajuste, enfrentando com eficiência a crise econômica nacional, mantendo o Estado em situação bem melhor do que a maioria das demais unidades da federação. O governador Marconi Perillo apresentou nesta sexta-feira (30), em entrevista coletiva na Sala de Situação do Palácio Pedro Ludovico Teixeira (PPLT), os números do balanço fiscal deste ano, e afirmou que "os resultados são alvissareiros, frutos de um grande esforço comandado por nossa equipe".

Os números da Secretaria da Fazenda (Sefaz) mostram que o Governo de Goiás registrou superávit primário de R$ 600 milhões em 2016, valor seis vezes superior ao projetado para o ano e 100 vezes superior aos R$ 6 milhões registrados em 2015. O resultado orçamentário também mostra expressiva melhora nas contas públicas, com superávit de R$ 600 milhões, após dois anos de déficits superiores a R$ 1 bilhão – R$ 1,8 bilhão em 2015 e R$ 1,8 bilhão em 2014. Após crescer no ano passado, a relação dívida/receita caiu em 2016 e está perto do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) Os limites legais de endividamento prosseguiram dentro dos limites legais, com folga, mesmo após a assunção da operação de crédito da Celg Distribuição, privatizada em novembro passado.

"Esses são os resultados principais na área econômica do governo do Estado. Posso afirmar que dificilmente teremos outro Estado com um resultado semelhante ao nosso", afirmou Marconi, destacando o empenho da equipe econômica do quarto mandato, liderada pela titular da Sefaz, Ana Carla Abrão Costa. "Pelos números, creio que estamos entre os três Estados com melhores resultados, fundamentalmente por conta dos ajustes que nós fizemos ao longo dos últimos três anos", disse o governador. Segundo Marconi, os números são resultado da associação entre as medidas de redução e contenção de gastos e das ações para recuperação de créditos, com destaque para programas de regularização fiscal.

A meta de R$ 100 milhões de déficit primário, definida pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, foi cumprida com ampla folga: mais de R$ 600 milhões de superávit. “Neste ano nós multiplicamos por cem vezes o superávit primário de 2015, que foi de R$ 6 milhões”, disse, ressaltando que “esse é um motivo para comemoração”.

Resultado Orçamentário

Representa o que está no Orçamento e o que efetivamente o governo Gastou. Nesse item o superávit também foi de R$ 600 milhões. Ou seja: o governo estadual gastou R$ 600 milhões a menos do que estava previsto no Orçamento para 2016, revertendo de forma “substancial e notável” a tendência negativa dos últimos anos, em particular do ano passado. “Em 2014, tivemos um déficit orçamentário de R$ 1,3 bilhão, em 2015 déficit de R$ 1,8 bilhão e em 2016 houve superávit de R$ 600 milhões”, explicou.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247