Com Tintim, Spielberg leva o cinema ao estado da arte

mais do que animao e mais do que cinema em 3D; a nova produo de Steven Spielberg, que estreou neste fim de semana no Brasil, representa um marco da stima arte, contando uma histria repleta de magia; imperdvel

Com Tintim, Spielberg leva o cinema ao estado da arte
Com Tintim, Spielberg leva o cinema ao estado da arte (Foto: Divulgação )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Steven Spielberg conseguiu mais uma vez. E fez com “As aventuras de Tintim: o segredo do Licorne”, que estreou neste fim de semana no Brasil, um de seus melhores filmes. Não apenas em função da magia do universo do cartunista belga Hergé, que criou as tiras do jovem repórter Tintim, que viajava pelo mundo acompanhado por seu cão Milu, mas, sobretudo, pela inovação cinematográfica. Ao custo de US$ 135 milhões, a superprodução de Spielberg abre uma nova fronteira no cinema, ao unir duas tecnologias: a animação tradicional e o “motion capture”, que reproduz os movimentos dos atores por meio de sensores instalados no corpo. O resultado é algo jamais visto: cinema no estado da arte, num universo de magia e beleza.

Para alcançar seu resultado, Spielberg se uniu ao diretor neozelandês Peter Jackson, que produziu “O Senhor dos Anéis” e “King Kong”, que também utilizaram a técnica do motion capture. Ao assistir ao filme com óculos 3D, o público tem acesso a imagens simplesmente espetaculares, que passam por Paris e seu mercado das pulgas, pelo deserto do Saara e pelo Marrocos. A trama se desenvolve em torno do mistério do navio Licorne, que foi comandado pelo célebre capitão Haddock e afundou com uma grande quantidade de ouro – quase uma América do Sul inteira. Tintim, Milu e um descendente de Haddock se unem na aventura e enfrentam a gang de Lord Sakharine, descendente dos piratas que afundaram o navio. E contam ainda com o apoio desastrado dos policiais franceses Dupont e Dupond.

No fim, depois de uma viagem fascinante e de grandes batalhas, Tintim, mais uma vez triunfa e deixa no ar a pergunta que emenda para o segundo filme da série: “Qual é a sua sede de aventura?”

Para Spielberg, que acalentava o sonho de trazer para as telas o universo de Hergé desde 1980, quando filmou “Os Caçadores da Arca Perdida”, deve-se tirar o chapéu. Seu filme dá às novas gerações a oportunidade de conhecer um dos personagens mais encantadores de todos os tempos. Ele mesmo, Tintim.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email