Com viés eleitoral, João congela aumento que ele mesmo deu ao IPTU

Após dois anos de reajustes em torno de 30%, o prefeito João Alves Filho (DEM) enviou à Câmara nesta quinta (16) projeto de lei que congela o aumento do IPTU durante quatro anos; a propositura, enviada aos vereadores justamente em ano eleitoral, barra o reajuste do imposto que estava previsto para ocorrer até 2022; candidato à reeleição, João tenta se desvincular da péssima repercussão do aumento do IPTU, que incidiu sobre o imposto tanto em 2015 quanto em 2016; chama a atenção que o prefeito não tenha se preocupado antes com os efeitos da crise econômica sobre os aracajuanos, passando a ter esta sensibilidade apenas agora, há pouco mais de 90 dias para as eleições municipais

Após dois anos de reajustes em torno de 30%, o prefeito João Alves Filho (DEM) enviou à Câmara nesta quinta (16) projeto de lei que congela o aumento do IPTU durante quatro anos; a propositura, enviada aos vereadores justamente em ano eleitoral, barra o reajuste do imposto que estava previsto para ocorrer até 2022; candidato à reeleição, João tenta se desvincular da péssima repercussão do aumento do IPTU, que incidiu sobre o imposto tanto em 2015 quanto em 2016; chama a atenção que o prefeito não tenha se preocupado antes com os efeitos da crise econômica sobre os aracajuanos, passando a ter esta sensibilidade apenas agora, há pouco mais de 90 dias para as eleições municipais
Após dois anos de reajustes em torno de 30%, o prefeito João Alves Filho (DEM) enviou à Câmara nesta quinta (16) projeto de lei que congela o aumento do IPTU durante quatro anos; a propositura, enviada aos vereadores justamente em ano eleitoral, barra o reajuste do imposto que estava previsto para ocorrer até 2022; candidato à reeleição, João tenta se desvincular da péssima repercussão do aumento do IPTU, que incidiu sobre o imposto tanto em 2015 quanto em 2016; chama a atenção que o prefeito não tenha se preocupado antes com os efeitos da crise econômica sobre os aracajuanos, passando a ter esta sensibilidade apenas agora, há pouco mais de 90 dias para as eleições municipais (Foto: Valter Lima)

247 - Após dois anos de reajustes em torno de 30%, o prefeito João Alves Filho (DEM) enviou à Câmara nesta quinta-feira (16) projeto de lei que congela o aumento do IPTU durante quatro anos. A propositura, enviada aos vereadores justamente em ano eleitoral, barra o reajuste do imposto que estava previsto para ocorrer até 2022. 

O líder da situação, Ivaldo José (PRTB), disse que o congelamento se dá em virtude do cenário econômico atual. “O prefeito reconheceu que havia necessidade dessa redução e do congelamento”, afirmou.

Para o vereador Iran Barbosa (PT), o projeto é eleitoreiro. “Os vereadores que votaram a favor do aumento do IPTU agora tentam dar justificativas para barrar o aumento durante quatro anos. Os aracajuanos sabem que esta é uma questão eleitoreira”, disse.

Candidato à reeleição, João tenta se desvincular da péssima repercussão do aumento do IPTU, que incidiu sobre o imposto tanto em 2015 quanto em 2016. Chama a atenção que o prefeito não tenha se preocupado antes com os efeitos da crise econômica sobre os aracajuanos, passando a ter esta sensibilidade apenas agora, há pouco mais de 90 dias para as eleições municipais. 

O projeto será votado na próxima semana.

Relembre matérias anteriores sobre o aumento do IPTU:

Com manobra e pressão, bancada de João aprova aumento do IPTU (aqui)

Aracajuanos se revoltam nas redes sociais com aumento do IPTU (aqui)

OAB poderá ir ao Supremo contra aumento do IPTU de Aracaju (aqui)

Alvo de três processos, IPTU de Aracaju deve gerar R$ 100 mi em 2016 (aqui)

Edvaldo: aumento do IPTU em Aracaju foi extorsivo (aqui)

Edvaldo: em 30 dias, revogarei reajuste do IPTU (aqui)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247