Comissão de Meio Ambiente avalia efeitos da seca

"Vamos tentar dirimir as questões burocráticas que impedem as ações"; afirma o presidente do colegiado na Assembleia Legislativa, deputado Leur Lomanto Jr. (PMDB); com a presença do chefe da Casa Civil do Estado, Rui Costa; audiência pública avaliará as dimensões do estrago causado pela estiagem e as medidas preventivas postas em prática pelo governo

Comissão de Meio Ambiente avalia efeitos da seca
Comissão de Meio Ambiente avalia efeitos da seca
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

A Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa aprovou nesta quarta a realização de uma audiência pública com prefeitos das regiões mais atingidas pela seca e com o chefe da Casa Civil do Estado, Rui Costa. Na pauta estarão os impactos e as ações preventivas e de combate à estiagem na Bahia.

Pedido de audiência partiu do deputado Adolfo Viana (PSDB). Na reunião de hoje, o vereador de Santa Luz Paulo Crespo (PMDB) relatou a situação de sofrimento da população com a seca e a falta de intervenções do governo na cidade.

Segundo o vereador, o município é abastecido por uma barragem construída há mais de 35 anos pela Leste Rede Ferroviária. Mas a barragem que atende aos municípios de Santa Luz e Queimadas estaria entupida, o que tem comprometido o abastecimento.

Presidente da comissão, o deputado Leur Lomanto Jr. (PMDB) alertou a necessidade de atenção do governo. Segundo ele, pequenas intervenções como a limpeza da barragem já poderão amenizar a situação.

"A Comissão vai buscar mais uma vez cumprir seu papel de intermediadora na discussão desses problemas. Vamos tentar dirimir as questões burocráticas que impedem as ações". Leur disse que os relatos do vereador reforçavam as justificativas de uma audiência que debate a escassez dos recursos hídricos nos municípios.

A estiagem que castiga o Nordeste desde o ano passado, sobretudo nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Bahia, é considerada a pior dos últimos 40 anos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email