Comissão resgata verdade sobre atentado a bomba

Membros da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara (CEMVDHC) deverão apresentar documentos que refutam a hipótese de que os autores do atentado a bomba no Aeroporto dos Guararapes (PE), em julho de 1966, sejam o professor Edinaldo Miranda e o ex-deputado federal Ricardo Zarattini; também deve ser reconhecida a morte do estudante Odijas Carvalho de Souza em decorrência de torturas sofridas no cárcere; o atentado no Aeroporto dos Guararapes foi um dos atos que deram início a luta armada no Brasil e tinha como alvo principal o general Arthur da Costa e Silva

www.brasil247.com - Membros da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara (CEMVDHC) deverão apresentar documentos que refutam a hipótese de que os autores do atentado a bomba no Aeroporto dos Guararapes (PE), em julho de 1966, sejam o professor Edinaldo Miranda e o ex-deputado federal Ricardo Zarattini; também deve ser reconhecida a morte do estudante Odijas Carvalho de Souza em decorrência de torturas sofridas no cárcere; o atentado no Aeroporto dos Guararapes foi um dos atos que deram início a luta armada no Brasil e tinha como alvo principal o general Arthur da Costa e Silva
Membros da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara (CEMVDHC) deverão apresentar documentos que refutam a hipótese de que os autores do atentado a bomba no Aeroporto dos Guararapes (PE), em julho de 1966, sejam o professor Edinaldo Miranda e o ex-deputado federal Ricardo Zarattini; também deve ser reconhecida a morte do estudante Odijas Carvalho de Souza em decorrência de torturas sofridas no cárcere; o atentado no Aeroporto dos Guararapes foi um dos atos que deram início a luta armada no Brasil e tinha como alvo principal o general Arthur da Costa e Silva (Foto: Paulo Emílio)


Pernambuco 247 - Membros da Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara (CEMVDHC) deverão apresentar documentos, datados da década de 1970, que refutam a hipótese de que os autores do atentado a bomba no Aeroporto dos Guararapes, em julho de 1966, sejam o professor Edinaldo Miranda e o ex-deputado federal Ricardo Zarattini. A cerimônia deve contar com a presença do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), na sede provisória do Governo do Estado, no Centro de Convenções de Pernambuco, na próxima terça-feira (10). A viúva de Odijas Carvalho e economista Maria Yvone Ribeiro, além de Zarattini e a viúva de Miranda, Maria Lucila Bezerra, també deverão comparecer ao evento. Na solenidade, também deve ser reconhecida a morte do estudante Odijas Carvalho de Souza devido a lesões corporais causadas por tortura.

Os documentos que atestam a inocência de Miranda e Zarattini desmentem as investigações conduzidas na época, e foram classificadas pela Comissão da Verdade como sendo “uma grave violação dos direitos humanos praticada pelo Estado, que produziu material inverídico, culpabilizando e punindo inocentes”. Ainda segundo a comissão, a retificação do caso permitirá mudanças na história de Pernambuco e do Brasil.

Já a correção do atestado de óbito de Odijas Carvalho foi pedido por Maria Ribeiro através do CEMVDHC. De acordo com os dados oficiais divulgados pela ditadura militar na época, o líder estudantil havia morrido de causas naturais, em decorrência de uma embolia pulmonar em fevereiro de 1971, no hospital da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE). Entretanto, foram encontrados ossos fraturados e rupturas no fígado e baço do estudante após a sua morte. Além de Carvalho, outros 51 nomes se encontram em uma lista do CEMVDHC como mortos e desaparecidos políticos.

O atentado no Aeroporto dos Guararapes em 1966 ficou conhecido nacionalmente como um dos atos que deram início a luta armada no Brasil. O alvo principal era o general Arthur da Costa e Silva, que escapou por ter desembarcado do avião onde se encontrava na Paraíba, e não em Pernambuco. O militar era cotado para suceder o general Castelo Branco na presidência do Brasil. Na época, Zarattini e Miranda foram acusados do crime e condenados pela ditadura militar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email