CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Como Jefferson deu um nó na acusação de Gurgel

Procurador aceitou correr o risco de ancorar sua denúncia em uma testemunha de pouca credibilidade; agora, se a palavra de Roberto Jefferson, expressa pelo advogado Luiz Barbosa, tem valor, Roberto Gurgel tem a obrigação de denunciar Lula; se não tem, outros réus terão que ser inocentados

Como Jefferson deu um nó na acusação de Gurgel (Foto: Edição/247)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – Ao tentar implicar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Ação Penal 470, o advogado Luiz Fernando Barbosa pode ter aplicado um nó mais difícil de desatar do que aparenta na acusação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Gurgel baseou sua acusação numa prova testemunhal, que, segundo o próprio, tem o mesmo valor probatório das demais provas. Mas, agora, a principal testemunha do processo (Roberto Jefferson) mudou seu discurso (Lula, que antes não sabia de nada, virou o mandante de tudo). 

"Ele (Lula) não só sabia como ordenou o desencadeamento de tudo isso que essa ação penal discute aqui. Ele ordenou. Aqueles ministros eram só auxiliares", disse Luiz Fernando Barbosa nesta segunda-feira. Das duas, uma: ou Lula é culpado ou todos os 38 réus são inocentes da acusação do 'mensalão', entendido como esquema de compra de votos no Congresso, e culpados apenas do crime que já assumem, o caixa dois eleitoral. Quer dizer, se a palavra da testemunha tem valor (e é ela que sustenta todo o processo), Lula é culpado. Se a palavra não tem valor (e foi ela que deu origem ao processo), todos só podem ser implicados pelo alegado caixa dois, que já prescreveu. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em entrevista recente, Jefferson já havia admitido que estava movido pela vingança quando fez a denúncia do 'mensalão'. “Ele me derrubou, mas eu livrei o Brasil de José Dirceu”, declarou o presidente do PTB, em referência ao ex-ministro da Casa Civil. Agora, o advogado de Jefferson vai ao Supremo Tribunal Federal dizer que seu cliente mentira ao inocentar Lula. Se já havia quem desconfiasse do presidente do PTB, essas últimas manifestações públicas não fizeram nada para melhorar sua imagem. Mas quem pode sair arranhado mesmo é o procurador-geral da República.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO