Conselho aprova cifra de R$ 12 mi em crédito rural

Nos primeiros seis meses de 2016, o montante beneficiou 150 famílias dos municípios de João Pinheiro, Mutum, Barbacena, Coqueiral e São Francisco do Glória, em cinco territórios de desenvolvimento: Noroeste, Caparaó, Vertentes, Sul e Zona da Mata; para ter direito ao financiamento, o beneficiário precisa ter sua proposta aprovada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedraf-MG), presidido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda)

Nos primeiros seis meses de 2016, o montante beneficiou 150 famílias dos municípios de João Pinheiro, Mutum, Barbacena, Coqueiral e São Francisco do Glória, em cinco territórios de desenvolvimento: Noroeste, Caparaó, Vertentes, Sul e Zona da Mata; para ter direito ao financiamento, o beneficiário precisa ter sua proposta aprovada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedraf-MG), presidido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda)
Nos primeiros seis meses de 2016, o montante beneficiou 150 famílias dos municípios de João Pinheiro, Mutum, Barbacena, Coqueiral e São Francisco do Glória, em cinco territórios de desenvolvimento: Noroeste, Caparaó, Vertentes, Sul e Zona da Mata; para ter direito ao financiamento, o beneficiário precisa ter sua proposta aprovada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedraf-MG), presidido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda) (Foto: Leonardo Lucena)

Nos primeiros seis meses de 2016, o volume de crédito rural aprovado em Minas Gerais somou cerca de R$ 12 milhões, beneficiando 150 famílias dos municípios de João Pinheiro, Mutum, Barbacena, Coqueiral e São Francisco do Glória, em cinco territórios de desenvolvimento: Noroeste, Caparaó, Vertentes, Sul e Zona da Mata.

Para ter direito ao financiamento, o beneficiário precisa ter sua proposta aprovada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedraf-MG), presidido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda).

Após a garantia do acesso à terra, as famílias têm, por exemplo, direito à políticas públicas como o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). "O primeiro semestre foi bastante positivo para a Diretoria de Crédito Fundiário, o foco agora é trabalhar para levar energia elétrica aos assentamentos", diz o diretor de Crédito Fundiário, Edilberto Fernandes.

Mutirão

Outra ação foi o mutirão realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda) para regularizar dívidas de crédito fundiário. Até o mês passado, a Seda atendeu cerca de 1.500 famílias. Os atendimentos aconteceram em 16 municípios de quatro territórios de desenvolvimento do e Minas Gerais.

A ação beneficiou usuários do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), Banco da Terra e Cédula da Terra inadimplentes até 2012, e contou com a parceria do Banco do Nordeste e do Banco do Brasil. "O mutirão foi extremamente importante, realizamos uma assistência jurídica para que as pessoas ficassem adimplentes", finaliza Fernandes.

Fonte: Ascom

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247