CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Contra fim de ministério, servidores ocupam o INSS

Os servidores do INSS de Alagoas ocupam o prédio-sede do INSS contra o fim do Ministério da Previdência e contra o que classificam como sucateamento do próprio Instituto Nacional de Seguridade Social; manifestação também denuncia um plano de destruição do Ministério e o desmonte do INSS; eles acusam o presidente interino, Michel Temer, de querer entregar o patrimônio do povo para as grandes seguradoras internacionais

Imagem Thumbnail
Os servidores do INSS de Alagoas ocupam o prédio-sede do INSS contra o fim do Ministério da Previdência e contra o que classificam como sucateamento do próprio Instituto Nacional de Seguridade Social; manifestação também denuncia um plano de destruição do Ministério e o desmonte do INSS; eles acusam o presidente interino, Michel Temer, de querer entregar o patrimônio do povo para as grandes seguradoras internacionais (Foto: Voney Malta)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Alagoas 247 - Os servidores do INSS de Alagoas realizam uma manifestação, nesta terça-feira, contra o fim do Ministério da Previdência e contra o que classificam como sucateamento do próprio Instituto Nacional de Seguridade Social. A manifestação começou no início da manhã, quando os servidores decidiram ocupar o prédio-sede do INSS, localizado na antiga Rua da Praia, centro de Maceió.

"Queremos denunciar um grave e alarmante plano de destruição do Ministério da Previdência Social, um dos mais antigos do Brasil, e o completo desmonte do INSS. O presidente interino, Michel Temer, quer entregar este patrimônio público do povo brasileiro para as grandes seguradoras internacionais, enquanto que o povo pobre será relegado a segundo plano, perdendo completamente seus direitos previdenciários", afirma a presidente do Sindicato dos Previdenciários (Sindprev-AL), Lúcia Maria Santos.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A líder sindical lembra, ainda, que o sindicato mantém o pagamento de cerca de R$ 37 bilhões mensais, perfazendo R$ 484 bilhões anuais, montante que é destinado a mais de 33 milhões de aposentados e pensionistas. 

Com a MP 726, destaca o Sinprev, o governo transferiu o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, enquanto a Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), o Conselho de Recursos e a Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência) ficaram sob a responsabilidade do Ministério da Fazenda, "sem uma justificativa que mantenha os direitos constitucionais dos brasileiros".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"A intenção do governo ilegítimo de Michel Temer é rebaixar os valores dos benefícios. A União também objetiva a adoção de idade mínima para as aposentadorias por tempo de contribuição, a desvinculação do valor dos benefícios previdenciários do salário mínimo, e o desvio de recursos da Seguridade Social para outros fins, impulsionando a previdência complementar privada", reforça a sindicalista.

De acordo com os manifestantes, a ocupação - que conta também com o apoio de vários movimentos sociais, a exemplo de CUT e Sinteal - "contra o desmonte do INSS pelo governo de Michel Temer" seguirá por tempo indeterminado. Os servidores também ocuparam o gabinete da gerência executiva, no 9º andar do edifício.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Com gazetaweb.com e assessoria

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO