Contra o assédio, mulheres lançam em SP movimento 'Então Eu Grito'

Um grupo de mulheres lançará em 08/10 em São Paulo, o movimento 'Então eu grito', com o objetivo de combater o assédio sexual; o movimento surge após frequentes casos de assédio no transporte público paulistano e contará com as presenças das cantoras Ana Cañas, Aíla e BrisaFlow, a ativista Monique Evelle, a nadadora Joanna Maranhão, a escritora Clara Averbuck e o Slam das Minas, além das vereadoras Juliana Cardoso (PT) e Sâmia Bomfim (Psol)

Um grupo de mulheres lançará em 08/10 em São Paulo, o movimento 'Então eu grito', com o objetivo de combater o assédio sexual; o movimento surge após frequentes casos de assédio no transporte público paulistano e contará com as presenças das cantoras Ana Cañas, Aíla e BrisaFlow, a ativista Monique Evelle, a nadadora Joanna Maranhão, a escritora Clara Averbuck e o Slam das Minas, além das vereadoras Juliana Cardoso (PT) e Sâmia Bomfim (Psol)
Um grupo de mulheres lançará em 08/10 em São Paulo, o movimento 'Então eu grito', com o objetivo de combater o assédio sexual; o movimento surge após frequentes casos de assédio no transporte público paulistano e contará com as presenças das cantoras Ana Cañas, Aíla e BrisaFlow, a ativista Monique Evelle, a nadadora Joanna Maranhão, a escritora Clara Averbuck e o Slam das Minas, além das vereadoras Juliana Cardoso (PT) e Sâmia Bomfim (Psol) (Foto: Charles Nisz)

Rede Brasil Atual - Um grupo de mulheres sairá às ruas no próximo domingo (8) para lançar o movimento "Então Eu Grito", com o objetivo de combater o assédio sexual diário. Para debater o tema, será realizado um encontro na Avenida Paulista, às 13h, com roda de conversa, shows e intervenções culturais.

O movimento surge após os relatos de assédio sexual no transporte público, como o caso recente do homem que ejaculou em uma mulher dentro de um ônibus, em São Paulo, e foi liberado pela Justiça logo depois.

"Aquele fato mostrou claramente o que mulheres sofrem diariamente e a falta de suporte de leis que possibilitem sua proteção e as inibem de denunciar, além do tratamento adequado dos abusadores. Não somos contempladas por uma legislação eficiente que trate o problema como uma questão estrutural e não apenas como casos isolados.", diz nota publicada pelo evento.

Entre as participantes confirmadas estão as cantoras Ana Cañas, Aíla e BrisaFlow, a ativista Monique Evelle, a nadadora Joanna Maranhão, a escritora Clara Averbuck e o Slam das Minas, além das vereadoras Juliana Cardoso (PT) e Sâmia Bomfim (Psol).

Confira a programação completa do evento, realizado pela Rede Feminista de Juristas, Mídia Ninja, União da Juventude Socialista e a o setorial Mulheres do PT-SP.

 
 
 
 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247