CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Convênio garante até R$ 300 milhões em empréstimos para franquias

Acordo firmado entre o Sebrae e o Bradesco permitirá que o banco empreste até R$ 300 milhões para pequenos negócios de franqueadas de todo o Brasil, com garantia de R$ 25 milhões do FAMPE (Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa), gerido pelo Sebrae; o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Guilherme Afif Domingos, defendeu ser fundamental investir em linhas de crédito para as MPEs no cenário atual, para que o setor possa continuar a segurar o emprego e a arrecadação

Imagem Thumbnail
Acordo firmado entre o Sebrae e o Bradesco permitirá que o banco empreste até R$ 300 milhões para pequenos negócios de franqueadas de todo o Brasil, com garantia de R$ 25 milhões do FAMPE (Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa), gerido pelo Sebrae; o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Guilherme Afif Domingos, defendeu ser fundamental investir em linhas de crédito para as MPEs no cenário atual, para que o setor possa continuar a segurar o emprego e a arrecadação (Foto: Luis Mauro Queiroz)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Por Daniel Lansky, da SMPE - O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Guilherme Afif Domingos, participou da cerimônia de assinatura de acordo firmado entre o Sebrae Nacional e o Bradesco para que o banco possa emprestar até 300 milhões para pequenos negócios de franqueadas de todo o Brasil, com garantia de R$ 25 milhões do FAMPE (Fundo de Aval da Micro e Pequena Empresa), gerido pelo Sebrae. Inicialmente, o convênio terá duração de cinco anos. O Bradesco é o primeiro banco privado a aderir ao Fundo.

Durante a cerimônia, o ministro voltou a defender o uso de 17% do dinheiro do compulsório para concessão de empréstimos às MPEs voltados a manutenção do capital de giro. Segundo ele, é fundamental investir em linhas de crédito para as MPEs no cenário atual, para que o setor possa continuar a segurar o emprego e a arrecadação. “Resolvi brigar pelo crédito, porque sei que esse é um bom caminho para o crescimento de um setor que está segurando o emprego e a arrecadação. Enquanto a arrecadação do governo, nos três primeiros meses do ano, recuou 6%, a das MPEs (em níveis reais) cresceu 5.65%”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Sobre o FAMPE, o ministro mostrou satisfação no sucesso do Fundo, criado por ele quando era presidente do Conselho do Sebrae. “Desde que assumi o conselho tinha na minha cabeça a ideia de criar um fundo de aval. Colocamos R$ 25 milhões de capital e a ordem era a seguinte: É para perder dinheiro. O nosso papel era o de fazer prospecção e abrir condições no mercado pra poder seguir. O tempo passou e o FAMPE nunca perdeu dinheiro. Hoje, são cerca de R$ 600 milhões sem ter que depositar um real a mais. Ou seja, o microempreendedor é honesto e paga suas dívidas. É confiável investir nas micro e pequenas empresas”, destacou.

O presidente do Sebrae, Luiz Barreto, destacou que os micro e pequenos empresários ainda encontram muitas dificuldades para acessar o crédito. “A crédito ainda é uma questão delicada para o pequeno negócio brasileiro e um dos principais entraves para o seu crescimento, pois ele precisa de capital de giro para compra de equipamentos, reformas, entre outros investimentos. O acordo contribui para mudar esse cenário”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Fampe 

O Fampe é um fundo garantidor com objetivo de dar às MPEs acesso a financiamentos, principalmente para capital de giro e investimento fixo. Ele garante até 80% do valor do financiamento e tem a função exclusiva de complementar garantias exigidas por instituições financeiras conveniadas ao Sebrae.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em 20 anos de existência, o fundo garantiu mais de 246 mil operações de crédito, o equivalente a R$ 11 bilhões em financiamentos e R$ 7,96 bilhões em avais do Sebrae. Atualmente, são 110 mil contratos vigentes, correspondendo a R$ 3,45 bilhões em financiamentos e R$ 2,39 bilhões em avais vigentes. Em termos de porte empresarial, 85% são empresas de pequeno porte e 15% são microempresas. Com relação aos setores econômicos, 47% são comércio, 17% da indústria e 36%, serviços.

Com a assinatura do convênio, o Bradesco se junta a outras sete instituições financeiras que operam o Fampe: Banco do Brasil, Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o Banco de Brasília (BRB), Agência de Fomento do Mato Grosso (MT Fomento), Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro (AgeRio) e Agência de Fomento de São Paulo (Desenvolve SP). A parceria conta com o apoio da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO