CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Corra, Ana, corra!

Esperana de medalha olmpica para o Brasil, Ana Claudia Lemos crava a melhor marca do ano nos 100 metros rasos

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Depois de Robson Caetano, bronze nos 200 metros rasos em Seul (1988), e do revezamento 4 x 100, prata em Sidney (2000), o Brasil volta a sonhar com medalha olímpica nas provas de velocidade do atletismo. A nova esperança é a cearense Ana Claudia Lemos, de 22 anos, que acaba de registrar a melhor marca do ano no mundo para os 100 metros rasos, 11s19. O feito foi alcançado em prova disputada na segunda-feira (28) no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo.

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Este tempo estava previsto. Agora, focaremos na participação em provas nos Estados Unidos, para evolução”, destacou o treinador da velocista, Katsuhico Nakaya. Segundo ele, as grandes metas de sua pupila na temporada são o Campeonato Mundial na Coreia do Sul, em agosto, e os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro.

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Para o próximo ano, claro, todas as atenções de Nakaya e de Ana Claudia já estão voltadas para os Jogos Olímpicos de Londres. Será a segunda olimpíada na carreira da atleta, mas a primeira em que irá efetivamente para a pista, já que em Pequim, há três anos, ela figurou como reserva na equipe que conquistou o quatro posto no revezamento 4 x 100. Aliás, com a sua esplêndida evolução desde aquela época – incluindo a quebra, no ano passado, do recorde sul-americano dos 100 metros, com a marca de 11s15 –, o Brasil passa a ter como meta factível a conquista de um pódio na prova coletiva.

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Realista, Nakaya acredita que a maior conquista da corredora nos jogos de Londres será obter um tempo inferior a 11s, o que poderia lhe garantir uma vaga na final olímpica, façanha inédita para o atletismo brasileiro. No Rio de Janeiro, em 2016, a bela cearense de 1,58, e 55 quilos deverá ter, aí, sim, chances concretas de brigar por uma medalha. “Eu sempre me cobro muito. Traço meus objetivos antes de cada ano. Sempre acho que posso fazer o meu melhor”, diz a garota, uma versão em escala reduzida de Jaqueline Carvalho, da Seleção Brasileira feminina de vôlei, campeão olímpica em Pequim.

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Confira aqui a vitória de Ana Claudia na prova dos 200 metros rasos no Troféu Brasil de Atletismo de 2010

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO