Corte de árvores volta a ser suspenso em PoA

Desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, da 22ª Câmara Cível do TJ-RS, suspendeu a liminar que permitia a derrubada de parte das árvores, localizadas na proximidade da Usina do Gasômetro; grupo de jovens acampou na região para evitar o corte de árvores, suspenso nesta sexta-feira;

Corte de árvores volta a ser suspenso em PoA
Corte de árvores volta a ser suspenso em PoA
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sul21 - Em mais um desdobramento da batalha judicial envolvendo as obras de ampliação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, o desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, da 22ª Câmara Cível do TJ-RS, suspendeu a liminar que permitia a derrubada de parte das árvores, localizadas na proximidade da Usina do Gasômetro. A decisão atende pedido do Ministério Público, que pediu antecipação de tutela alegando que a autorização para derrubada das árvores ignorava o Corredor Parque do Gasômetro, previsto no Plano Diretor da capital gaúcha. Além disso, a decisão tomada pela juíza Nadja Mara Zanella da 10ª Vara da Fazenda Pública na última quarta-feira (17) seria de caráter irreversível e praticamente esgotaria o objeto da ação, na visão do desembargador que suspendeu a liminar.

A liminar anterior autorizava parcialmente a derrubada de árvores na área, poupando apenas a vegetação na área direta do Parque do Gasômetro. A possibilidade de novos cortes, depois da polêmica que a derrubada das árvores causou em Porto Alegre, mobilizou um grupo de jovens a acampar na área da obra como forma de impedir que isso acontecesse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247