Cortejado por Skaf e Alckmin, Kassab mantém candidatura

Pré-candidatura do ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), incomoda adversários, que o querem como aliado; é o caso de Paulo Skaf (PMDB) e de Geraldo Alckmin (PSDB); ainda assim, Kassab não trabalha com a perspectiva de desistir de sua pré-candidatura a governador do Estado, uma vez que tem consciência do papel estratégico dela para o fortalecimento do PSD; "Estão confundindo conversa com acordo", diz um interlocutor próximo ao ex prefeito; só em junho, Kassab definirá o caminho que irá tomar na eleição deste ano 

Pré-candidatura do ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), incomoda adversários, que o querem como aliado; é o caso de Paulo Skaf (PMDB) e de Geraldo Alckmin (PSDB); ainda assim, Kassab não trabalha com a perspectiva de desistir de sua pré-candidatura a governador do Estado, uma vez que tem consciência do papel estratégico dela para o fortalecimento do PSD; "Estão confundindo conversa com acordo", diz um interlocutor próximo ao ex prefeito; só em junho, Kassab definirá o caminho que irá tomar na eleição deste ano 
Pré-candidatura do ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), incomoda adversários, que o querem como aliado; é o caso de Paulo Skaf (PMDB) e de Geraldo Alckmin (PSDB); ainda assim, Kassab não trabalha com a perspectiva de desistir de sua pré-candidatura a governador do Estado, uma vez que tem consciência do papel estratégico dela para o fortalecimento do PSD; "Estão confundindo conversa com acordo", diz um interlocutor próximo ao ex prefeito; só em junho, Kassab definirá o caminho que irá tomar na eleição deste ano  (Foto: Valter Lima)

247 - A pré-candidatura do ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), tem incomodado adversários, que tentam, a todo custo, tornar-se aliados. Não é sem sentido que surgem, frequentemente, na mídia informações de uma possível desistência de Kassab para adesão a outros projetos.

Na verdade, Kassab não trabalha com a perspectiva de desistir de sua pré-candidatura a governador do Estado, uma vez que tem consciência do papel estratégico dela para o fortalecimento do PSD. Ser candidato é uma oportunidade de dar mais visibilidade e musculatura à legenda neste ano. 

Na visão de integrantes do PSD, se o PMDB, de Paulo Skaf, e o PSDB, de Geraldo Alckmin, insistem tanto por uma aliança é porque uma possível pré-candidatura de Kassab dificulta as candidaturas postas. Mesmo sem estar em pré-campanha ativa, como é o caso de Skaf e do pré-candidato do PT, Alexandre Padilha, além da exposição natural do governador tucano, o ex-prefeito de São Paulo aparece nas pesquisas com até 12% das intenções de voto. 

Neste sentido, o PSD mantém sua disposição em lançar Kassab como candidato. Isto só poderá se alterar se surgir uma alternativa de projeto que gere maiores dividendos à legenda no plano nacional. Até junho, partidários do ex-prefeito têm afirmado que o PSD continuará conversando com outras legendas para avaliar o melhor caminho para este ano eleitoral. "Estão confundindo conversa com acordo", diz um interlocutor próximo ao ex prefeito. 

Abaixo nota da coluna Painel, da Folha de hoje, que só comprova as tentativas de desestabilizar a pré-candidatura de Kassab:

Funil 1 Aliados de Gilberto Kassab (PSD) acreditam que, hoje, o ex-prefeito está mais propenso a apoiar Paulo Skaf (PMDB) ao governo de São Paulo do que se lançar em uma candidatura própria.

Funil 2 Integrantes do PSD enxergam um espaço cada vez mais reduzido para uma quarta força na disputa, além de PSDB, PT e PMDB.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247