CPI: para tucano, 'Gabrielli zombou dos brasileiros'

Vice-presidente da CPI da Petrobras, o deputado baiano Antônio Imbassahy avaliou que em depoimento ao colegiado, o conterrâneo José Sérgio Gabrielli "agiu com desfaçatez e zombou da inteligência dos brasileiros" ao negar saber do esquema de corrupção de empreiteiras em contratos da estatal; "Ele falou de outra empresa, não da Petrobras. Entre outras barbaridades, o ex-presidente disse que a corrupção na Petrobras é apenas individual, e não sistêmica, enquanto o ex-diretor da companhia, Pedro Barusco, dois dias atrás afirmou, na CPI, que era um processo institucionalizado desde 2014", disse o tucano

Vice-presidente da CPI da Petrobras, o deputado baiano Antônio Imbassahy avaliou que em depoimento ao colegiado, o conterrâneo José Sérgio Gabrielli "agiu com desfaçatez e zombou da inteligência dos brasileiros" ao negar saber do esquema de corrupção de empreiteiras em contratos da estatal; "Ele falou de outra empresa, não da Petrobras. Entre outras barbaridades, o ex-presidente disse que a corrupção na Petrobras é apenas individual, e não sistêmica, enquanto o ex-diretor da companhia, Pedro Barusco, dois dias atrás afirmou, na CPI, que era um processo institucionalizado desde 2014", disse o tucano
Vice-presidente da CPI da Petrobras, o deputado baiano Antônio Imbassahy avaliou que em depoimento ao colegiado, o conterrâneo José Sérgio Gabrielli "agiu com desfaçatez e zombou da inteligência dos brasileiros" ao negar saber do esquema de corrupção de empreiteiras em contratos da estatal; "Ele falou de outra empresa, não da Petrobras. Entre outras barbaridades, o ex-presidente disse que a corrupção na Petrobras é apenas individual, e não sistêmica, enquanto o ex-diretor da companhia, Pedro Barusco, dois dias atrás afirmou, na CPI, que era um processo institucionalizado desde 2014", disse o tucano (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Vice-presidente da CPI da Petrobras na Câmara, o deputado federal baiano Antônio Imbassahy avaliou que em depoimento ao colegiado ontem (12), o conterrâneo José Sérgio Gabrielli "agiu com desfaçatez e zombou da inteligência dos brasileiros" ao negar saber do esquema de corrupção de empreiteiras em contratos da estatal.

"Ele falou de outra empresa, não da Petrobras. Entre outras barbaridades, o ex-presidente disse que a corrupção na Petrobras é apenas individual, e não sistêmica, enquanto o ex-diretor da companhia, Pedro Barusco, dois dias atrás afirmou, na CPI, que era um processo institucionalizado desde 2014", disse o tucano.

Para o deputado, "é inaceitável" o ex-presidente da Petrobras ter negado "prejuízo bilionário" na compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, o que ele considera como "um dos piores negócios da história" da Petrobras. "Ele só pode estar brincando. Bem se vê que é uma pessoa que não merece a menor consideração. Isso é cinismo e hipocrisia", afirmou Imbassahy.

O parlamentar disse também que, a partir desse depoimento, "ficou evidente a responsabilidade da presidente Dilma Rousseff", enquanto presidente do conselho de administração da empresa, nas principais decisões de compra e venda de ativos.

"O depoimento do ex-presidente serviu ainda para deixar clara a ligação dele com o PT e mostrar que sua indicação para comandar a maior companhia do país, sem as qualificações necessárias que o cargo requer, só se deu por causa dos mais de 30 anos de amizade com o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, até recentemente preso na penitenciária da Papuda condenado no processo do mensalão", esbravejou o tucano.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247