CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

CPI quer ouvir 'subornados e subornadores' do Carf

O senador Donizeti Nogueira (PT-TO), vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito para investigará o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, a CPI do Carf, avaliou como positiva a convocação de conselheiros suplentes da 2ª, 3ª e 4ª Câmaras do Carf, ex-conselheiros e de empresários que podem ter oferecido suborno para a anulação de autuações ou redução de impostos cobrados; “Com essas convocações, vamos ter a oportunidade de ouvir tanto aqueles que ofereceram suborno, quanto aqueles que podem ter sido subornados”, disse

Imagem Thumbnail
O senador Donizeti Nogueira (PT-TO), vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito para investigará o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, a CPI do Carf, avaliou como positiva a convocação de conselheiros suplentes da 2ª, 3ª e 4ª Câmaras do Carf, ex-conselheiros e de empresários que podem ter oferecido suborno para a anulação de autuações ou redução de impostos cobrados; “Com essas convocações, vamos ter a oportunidade de ouvir tanto aqueles que ofereceram suborno, quanto aqueles que podem ter sido subornados”, disse (Foto: Aquiles Lins)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Tocantins 247 - O senador Donizeti Nogueira (PT-TO), vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito para investigará o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, a CPI do Carf, avaliou como positiva a convocação de conselheiros suplentes da 2ª, 3ª e 4ª Câmaras do Carf, ex-conselheiros e de empresários que podem ter oferecido suborno para a anulação de autuações ou redução de impostos cobrados.

“Com essas convocações, vamos ter a oportunidade de ouvir tanto aqueles que ofereceram suborno, quanto aqueles que podem ter sido subornados”, disse.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O senador informou ainda que os requerimentos foram baseados em informações da Operação Zelotes já obtidas pela comissão, que nesta semana se reuniu com os procuradores Frederico Paiva, que coordena as investigações, e José Alfredo de Paula Silva, integrantes da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) que investiga o caso.

O presidente da CPI, senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO) explicou que a reunião teve como objetivo reunir informações que possam balizar a construção do plano de trabalho da comissão e cobrar agilidade na remessa dos documentos solicitados.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A relatora da CPI, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), ressaltou a importância de um trabalho em conjunto com os órgãos fiscalizadores envolvidos na Operação Zelotes e apresentou requerimentos para que o Ministério da Fazenda, a Receita Federal, o Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República no Distrito Federal e a Polícia Federal disponibilizem técnicos, procuradores, delegados e agentes para acompanhar e auxiliar os trabalhos técnicos e investigativos da CPI.

Com a impossibilidade de analisarem mais de 100 mil processos de dívidas que tramitam no Carf, também foi aprovado o requerimento do senador Otto Alencar (PSD-BA) que solicita que o Conselho envie à CPI a relação dos 780 processos com dívidas superiores à R$ 100 milhões, o que soma uma importância de R$ 357 bilhões. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Leia também: PF e CPI vão investigar o Carf em conjunto

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO